Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Seg | 22.02.21

Vinhos para comidas picantes | Dicas da enófila

Devido aos meus posts sobre comida asiática, e depois e ter falado também sobre gastronomia mexicana, recebi umas mensagens sobre como faço eu os pairings de vinho.

 

Primeiro: fiquei honrada de pensarem em mim quando têm dúvidas sobre vinhos;

Segundo: fiquei preocupada de pensarem em mim, quando o tema são vinhos! 

 

Mas vá, sendo que falei de picantes e condimentos, resolvi começar por aí.

Normalmente pensa-se automaticamente em tintos: "vermelho liga com vermelho"... mas, em Madrid, por exemplo, eu descobri que um branco bem ácido faz maravilhas e leva a beber em menor quantidade.

  • Há que procurar vinhos com poucos taninos, que "arranhem" pouco no final, porque podem deixar sensação de desconforto com as picadas do picante.
  • Ou seja, procurem vinhos mais adocicados, mais leves em teor alcoólico. Daí eu dizer para não se focarem só nos tintos, se analisarem bem os rótulos: rosés fazem um bom trabalho, permitem ser bebidos frescos e, normalmente, têm menor teor de álcool.
  • Procurem castas como Castelão, Arinto, Aragonez, por exemplo, por serem castas fáceis de encontrar em vinhos portugueses e com mais probabilidade de notas de frutas - ou seja, mais probabilidade de "saber a doce".
  • Dêem preferência a vinhos com pouco estágio em madeira, para serem vinhos mais macios e mais jovens. Vão confundir menos o palato, também.

 

Eu cá, para casa aposto em AdegaMãe, Grão Vasco, Adega de Vila Real, Sossego e Quinta da Ravasqueira.

Tudo vinhos abaixo dos €6, fáceis de encontrar nos hipermercados e em que do tinto, ao branco e ao rosé, conjugam bem com picantes; seja a receita portuguesa ou estrangeira.

 

Claro que cada pessoa tens os seus gostos e nos vinhos não há obrigações! Ninguém se sinta mal, há que brindar e celebrar a vida, isso sim.

 

*post não patrocinado por qualquer das marcas mencionadas