Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Sex | 17.04.20

Receita | Pudim de côco sem forno

Nesta Páscoa em casa, sem família, "sem nada", tomei nas minhas mãos o fazer na mesma pratos caseiros "de festa".

 

Inventei uma entrada: bolinhas de farinheira no forno, com 2 ingredientes;

E repeti a sobremesa que a minha mãe fez, no Porto, em fevereiro: pudim de côco, que não precisa de ir ao forno - e sim, esta fiz porque queria matar saudades de casa.

 

Esta receita é muito simples, o que demora mais é o tempo de "cozedura no frigorífico".

A minha mãe encontrou a receita numa das milhentas páginas de Facebook e eu, na altura, ajudei - aka dei apoio moral e dicas, e depois ajudei a comer!

 
Ingredientes:
  • 1 lata de leite condensado (eu usei magro)
  • 1 pacote de natas
  • 1 chávena de leite (eu usei de soja)
  • 1 folha de gelatina incolor
  • 2 colheres de sopa de côco ralado
Preparação:
  • Misturar o leite de soja com o leite condensado e reservar;
  • Hidratar a folha de gelatina em água fria por alguns minutos, escorrer e levar ao micro-ondas (mais ou menos 1 minuto para se dissolver);
  • Juntar a gelatina ao preparado anterior, misturar bem e adicionar as natas batidas;
  • Juntar o côco para dar textura e mexer para incorporar;
  • Verter numa forma, forrada com caramelo, levar ao frigorífico durante pelo menos 4 horas ou para garantir a consistência, da noite para o dia;
  • Na hora de servir, desenformar e polvilhar com côco ralado, caso sejam muito fãs - a minha mãe faz este passo, eu aqui, saltei, porque o m-R não é o maior apreciador de côco.

Este pudim é fresco, leve e pouco doce, aaaah e uma boa base, pois podem substituir o côco por maracujá ou chocolate em pó e conseguem receitas sempre diferentes e para todos os gostos.

 
Quanto às bolinhas de farinheira, são fruto do desenrrascanso em quarentena, mas vou guardar essa história para outro post.
 
Não percam o próximo episódio, porque nós, também não!

2 comentários

Comentar post