Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qua | 25.03.20

Psoríase ligeira | Produtos recomendados: quais funcionaram comigo?

Há 5 anos, no meu primeiro inverno em Lisboa, tive uma crise moderada de psoríase.

Eu tenho psoríase nervosa desde pequena (diagnosticada por médicos competentes), mas durante anos, encontrei o meu equilíbrio e tudo se geriu, e dela, nem sinal... Depois mudei-me para Lisboa, e, nesse inverno, a juntar à mudança, fiquei desempregada e a crise foi maior.

Na altura encontrei solução num creme de mãos, "cuidado intensivo com ureia e glicerina" da Avon. Adorei-o ao ponto de, nesse Natal, oferecer a amigos com frieiras e alergias também.

 

Entretanto acalmou... até este outono. Em novembro tudo voltou. Lá está, os níveis de stress andam, outra vez, nos píncaros.

Primeiro minimizei. Depois procurei o creme da Avon... e ele tinha sido descontinuado.

Aí entrei um (bocadinho) em pânico.

 

O local mais afetado, desde a idade adulta? As mãos - e daí não querer "ceder" a cremes com corticoides e coisas dessas.

E agora muitos pensam:

Mas óh m-M, nas mãos? Podia ser tão pior!

Ah pois que podia. Mas é extremamente desconfortável: as mãos incham, doem e a comichão é terrível.

 

Entretanto a nossa Pandora falou-me do creme de mãos com Ureia da Cien. Corri 3 Lidls: esgotado, em todo o lado.

Desesperada, fui à farmácia, expliquei-me e a farmacêutica recomendou o Cold Cream Fluído da Avène. Supostamente um bom creme gordo faz maravilhas pela psoríase e este fluído é desenhado para peles sensíveis e para toda a família. Sendo eu uma "Avène poster girl" fiquei logo convencida e, apesar do preço de farmácia: €16 por uma bisnaga, comprei.

Screen Shot 2020-03-24 at 12.57.52.png

Experimentei 2 semanas, a colocar todas as noites e manhãs... e foi sempre a piorar. Cheguei ao ponto de fazer a experiência e parar 1 único dia e o inchaço acalmava.

 

Voltei a desesperar. Andava assim há 3 semanas.

 

Voltei à farmácia, ou melhor, à para-farmácia. Outra, diferente, perto do trabalho.

E desta feita, a farmacêutica recomendou, de novo, um produto com Ureia, desta vez, mais forte mas mais acessível - porque eu desabafei sobre o quanto tinha gasto e que agora tinha um produto bom "encostado", em casa.

O segundo produto recomendado? O creme de mãos da Babaria com 20% de Ureia, uma percentagem mais alta que outros cremes de mãos que se veem em supermercados, sendo mais recomendado para tratamento de alergias e casos crónicos.

Screen Shot 2020-03-24 at 12.58.21.png

E este sim, funciona.

Estou a usá-lo, também 2 vezes ao dia, desde dezembro e a crise acalmou imenso e praticamente desapareceu - só "volta", muito levezinha, caso me esqueça de por o creme por mais de 3 dias seguidos e coma algo mais rico em ácidos, como citrinos ou azeitonas.

Parte boa? Este menino custou "apenas" €3. E pode ser encontrado em algumas para-farmácias e no El Corte Inglès. Não é o "creme de mãos habitual", não tem um cheirinho bom e tal, mas resulta - daí recomendar mesmo que só o comprem por motivos de saúde.

Para cuidado da pele há outros mais baratos e mais cheirosinhos por aí, acreditem!

 

Nesta fase de confinamento, fui pesquisar, para caso alguém desse lado necessite também, podem encontrar ambos os produtos na Notino - e um pedacinho mais baratos: O Avène Cold Cream (que é bom para nutrição do corpo, sim senhora, só não para a psoríase - tenho que o por no corpo com luvas...) custa €12; já o creme de mãos da Babaria custa €2,70, online.

 

*post escrito com o apoio da loja online

6 comentários

Comentar post