Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Dom | 08.03.20

Experiência | Vinho Vidigueira, uma comparação

O prometido é devido! E pedido por vocês...

 

Estava a tirar estas fotos para realmente falar do vinho, o "famoso" Vidigueira, um vinho de muitas histórias engraçadas, na família do m-R, e que em 2019 voltou a ser presença assídua lá por casa, muito devido às promoções do Continente (embora volta e meia esteja marcado como um vinho de €9, há muitas promoções em que fica a €3, a garrafa).

Neste dia estávamos em casa dos avós paternos do m-R e apareceram estas duas meninas à mesa.

IMG_0264.jpg

Tendo em conta a diferença de preços, lembrei-me de falar delas, e partilhar a minha opinião sobre se valem, ou não, o investimento!

Na minha mão esquerda está o Vidigueira tinto Premium, presença habitual à mesa, porque é o vinho favorito do avô.

Este alentejano diz-se Premium mas é um vinho simples: perfeito para por na mesa num jantar de família, sem se comprometerem. (Mas também não vai deslumbrar ninguém, calma!) As castas são Alicante Bouschet, Trincadeira e Syrah e acompanha bem aves e carnes assadas. Os sabores são equilibrados com toques de fruta madura e poucos taninos. Para mim, vale os €3 mas não mais, e é um vinho de aproveitar as promoções, para ter em casa e receber os amigos sem correr o risco de apresentar um vinho "demasiado forte", que não agrade a certos palatos.

 

Já na minha mão direita está o Vidigueira Signature Tinto, que venceu a medalha de ouro do Wine Masters Challenge 2018. É garrafinha para €15 em certas lojas online, mas estava a €5 no Continente e o avô trouxe, entusiasmado.

Castas? Syrah e Alicante Bouschet. Veredito? É um vinho mais escuro, rico, com lágrima, leve aroma a baunilha, igualmente equilibrado com notas de fruta madura e, desta feita, madeira.

Ou seja, bom, mas nada de extraordinário, como se esperaria pelo nome e pelas medalhas. São até os dois muito semelhantes quando comparados diretamente, sendo o Premium mais suave até - mas nisto dos vinhos, cada um tem o seu palato e preferências!

(Eu devo ter palato de póbri!)

 

Isto tudo para dizer que, na mesma casa, na mesma marca sim, encontram-se diferenças, mas que o marketing também joga, e nem sempre um rótulo mais bonito ou um preço mais alto é garantia para apaixonar.

 

Quem já os experimentou, concorda?

 

*post não patrocinado

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.