Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qua | 18.10.23

E novidades?

A minha primeira reação é dizer: "não há".

(Tal como a resposta "está tudo bem", é automática)

Novidades... 

Aprendi a viver com a ainda mais medicação - e a não ter vergonha dela, e a agradecer o quanto me ajuda, no dia-a-dia.

Regressei ao ginásio especificamente para trabalhar mobilidade e motricidade e, ao fim de 4 meses de trabalho, sem esperar, tive a prova de que o trabalho está a ter frutos.

Sofri muito profissionalmente, mas não deixei de lutar, e aprendi a não suportar os "fretes", mas sim a vê-los como algo que paga as contas - numa fase tão difícil, mundialmente.

 

Vivi dias tristes, felizes. Desiludi-me.

E tive maravilhosas surpresas, em forma de pessoas, de lugares e de momentos.

 

Fiz a 6ª e a 7ª tatuagens. Tenho os meus patudos e a minha irmã na pele, com todo o orgulho do mundo.

Tenho amig@s do c@r@lh0. Com as melhores piadas, a melhor comida, o melhor vinho e o carinho, o carinho enorme que o dão quando o meu está cá e parece não sair cá para fora.

 

Viajei. Mais do que esperava.

Em cada viagem "vi" a minha irmã, em cada Céu belo; e vivi-me a mim.

Em museus, em barcos, em caminhadas, em restaurantes atolados e tão simplesmente em ruas, com mapas, sozinha e acompanhada.

 

Tenho o GRANDE marido com que muit@s sonham - não maridão, não perdeste o lugar.

Mas, mais do que tudo, tenho um companheirão, um ombro, um peito, um porto seguro.

Uma pessoa que conversa, que fala, que ouve, que responde, que avança, que pergunta, partilha, aceita, vive - e eu tenho a sorte de poder partilhar isso tudo com esta pessoa fantástica.

Um HOMEM! Com todas as letras grandes.

 

Vivo uma dinâmica familiar diferente, que foge do que sempre pensei que tinha construído...

Doí e prá xuxu.

Tenho dias em que paro e penso: "como raio me esforcei tanto pela minha família, e estou *aqui*"?

Mas aí? Aprendi que eu sou a minha casa, a minha família, e tudo o resto cresce e é nutrido a partir de mim.

 

O Snape, o Freddie e o Kiwi estão finos.

As obras à "Querido" continuam cá em casa, volta e meia, sempre #pelintra4ever.

Eu, o meu carro, o meu rádio e a estrada continuam a ser um mundo que adoro.

E boa comida e boa bebida não faltam - sem exageros.

 

E desse lado, há novidades?

4 comentários

Comentar post