Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Sex | 15.03.19

#coisasboasà6ªfeira | Mais uma batalha vencida!

A minha irmã foi internada faz hoje 10 dias.

10 dias de loucos. Emoções à flor da pele, muitas mensagens e carinho.

 

Ela está em internamento isolado, num quarto a que chama o seu "aquário privativo".

Primeiro vieram os tratamentos aniquiladores do sistema (4 doses de quimio por dia), ontem o dia mais aguardado: o transplante.

 

Nesta dezena de dias vivemos feitos ratinhos dentro da gaiola: Cada dia que passa é uma pequena vitória, dentro da nossa ansiedade. Cada dia que passa esperamos mais novidades. Cada dia que passa mais pedimos para que tudo corra bem, para que o dador esteja bem, saudável e não mude de ideias - não, não me vou pronunciar sobre as notícias que têm saído nos media sobre isso, que me doi demasiado o coração e não quero ser maldosa.

Aí lembro-me: ai que pessoas egoístas que somos. Pois somos, mas acho que nesta situação, só por agora, até podemos ser.

 

Tenho falado com ela por videochamada - e vivam "as novas tecnologias"! Sempre à hora das refeições, que gosto de saber se ela se está a alimentar. 

As saudades e o aperto no coração, esses ficam para quando a chamada acaba.

E é bom ver que somos filhas dos mesmos pais: durante aqueles minutos, ambas pomos o nosso melhor sorrisos, fazemos conversa de "treta", sorrimos muito uma à outra e dizemos "até amanhã". Nos últimos dias, fruto da força dos tratamentos, as nossas chamadas são quase telegramas. Ela está cansada, fraca, a sofrer não só os efeitos físicos de tudo isto, como os psicológicos do isolamento. Fala com os meus pais, com o meu sobrinho, com o marido, comigo... e é isso. (pedimos desculpa a todos quantos se preocupam e perguntam e ligam, mas ela não se sente com capacidades de falar).

 

Dentro do seu isolamento, a minha irmã começou por tentar dedicar-se a projetos que a distraiam, continua a pensar na sorte que tem tido, e resolveu criar um blogue para partilhar esta sua fase e experiência, porque há sempre alguém, somewhere, que pode precisar de ler "exatamente aquelas palavras". Contudo, nos últimos dias não tem conseguido atualizar o seu diário de bordo.

Podem ler sobre o "dia-a-dia de peixinho" dela, aqui.

Vamos todos dizer um olá? 

 

E bem, tudo para dizer que esta 6ª feira tem a melhor das coisas boas: é o 1º dia "novo", "do zero", desde o fatídico dia da má notícia, em agosto.

Vencemos mais esta batalha, encontramos o nosso heroi salvador, que não fugiu, que não mudou de ideias! E que se deu à nossa família, por um futuro melhor e saudável. Ele/ela agora também é dos nossos! Sou-lhe tão grata que não cabe em palavras!

Escrevo-vos de lágrimas a rolar pela cara, lágrimas de alegria e esperança. E saudades e medo.

Mas caraças! Hoje é um dia bom, o Sol brilha como que para abençoar esta nova fase. E nós? Nós vamos vencer a guerra!

2 comentários

  • Imagem de perfil

    m-M 18.03.2019

    Obrigada por todo o apoio, sempre! <3
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.