Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Seg | 25.01.21

5 meses.

Já reparaste?

Chegou o frio, de que não gostavas nada, e tu não estás aqui.

Para vestir meias fofinhas, e muitos casacos, uns por cima dos outros, qual cebola.

 

Passou o Natal, e o Ano Novo.

E, na vídeo-chamada para Casa, continuei a olhar para a mesa, à espera de te ver.

E aí, acontece sempre a mesma desilusão. Desilusão consciente, fruto da saudade.

 

É verdade que, com a idade, os presentes materiais deixam de ser relevantes. Tanto que o meu grande presente, este ano, foi poder estar com a mãe e o pai e os meninos; e poder ir ver-te ao nosso cantinho e acender-te uma vela.

Mas se eu já considerava os nossos abraços os mais importantes do mundo, este ano, tudo o que eu quis foi um abraço teu, e não houve milagre de Natal que mo trouxesse.

 

Veste um casaco aí em cima, meu Amor. 

Está frio e tu já és friorenta.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.