Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Sab | 20.03.21

Vinhos para bacalhau | Dicas da enófila

Se são minimamente como eu... já estão a pensar no menu para o fim de semana da Páscoa.

E depois do sucesso do primeiro texto desta rubrica, resolvi virar-me para "o melhor amigo à mesa, de todos os portugueses": o bacalhau.

 

Seria simples dizer: "peixe vai com brancos", que é a regra geral.

Mas... estamos a falar de bacalhau, um peixe que ganha diferentes personalidades quer seja feito no forno, quer seja mais ou menos condimentado. Por isso, não procurem mais. Cá estão as minhas dicas:

 

Ao ser um peixe baixo em gorduras e que pode ser comido em várias texturas e temperaturas, há que pensar de forma simples:

Pratos leves, com poucos ingredientes e em que o sabor do peixe "brilha" pedem brancos frutados ou mesmo espumantes brancos vibrantes, como bolha fina (caso queiram ficar pelo vinho porque conhecem mal os espumantes), que não confundam o palato mas sim "acordem" os sabores dos ingredientes.

Aqui considero que os Alvarinhos funcionam bem - ambos estes são dos meus favoritos e podem ser comprados abaixo dos €5.

 

Mas, se pensamos em pratos de forno, com condimentos como pimentão, alho cozinhado, pimentas... aí não tenham medo: arrisquem num tinto jovem com pouca madeira e aromas de especiarias leves, como a baunilha.

Neste ponto gosto do comportamento dos tintos do Dão - ambos também são escolha cá de casa e também ficam abaixo dos €5.

E vocês? Esperavam ver os tintos nesta pequena lista? (eu admito que fiquei surpresa, quando comecei a pesquisar)

 

*post não patrocinado por qualquer uma das marcas apresentadas

Qua | 17.03.21

Skincare | Revolution Skincare | Notino

Quem é mais adepto da maquilhagem já ouviu falar, e muito da Makeup Revolution: uma marca britânica, com 6 anos no mercado, mas que apareceu para mostrar que a qualidade também se faz a preços mais baixos.

 

Ora, mais recentemente apostaram para além da maquilhagem, em produtos de cuidados da pele, com a sub-marca Revolution Skincare.

 

Eu resolvi apostar em 2 produtos, que comprei aproveitando uma promoção da Notino, em novembro.

Agora que já aprendi a acalmar a minha pele sensível, para a rotina de noite resolvi apostar em hidratação.

Em promoção por cerca de €14 cada, encontrei o sérum cremoso de olhos com ácido hialurónico: sem perfume, de sensação fresca, mas pouco cremoso, utilizo-o depois da limpeza de pele e de colocar o tónico. Noto a pele das olheiras mais preenchida, se assim lhe posso chamar, e as linhas de expressão à volta dos olhos, menos marcada.

Segue-se o segundo produto: o sérum de ácido hialurónico. Sabiam que o ácido hialorónico é o melhor ácido para começar a acresentar às rotinas de pele? Exatamente porque "se porta bem" com os outros ativos, não perdendo propriedades ou resultados.

Este sérum é muito leve, sem perfume também, nada pegajoso e de rápida absorção. É um passo de "luxo" porque se sente a pele a responder, e não pede mais de 2 minutos.

Finalizo com o meu creme anti-manchas nocturno da Ducray (de que já falei aqui antes) - que tem uma textura mais densa e rica, e por isso, deve ser o último passo de cuidado, para a pele ter mais tempo para o absorver.

 

O ácido hialorónico é recomendado para quem nota a pele:

  • Desidratada;
  • Seca;
  • Sensível;
  • Sem brilho.

 

Ambos os produtos são cruelty free vegan.

 

*post não patrocinado, mas com o apoio da loja online 

Dom | 14.03.21

Experiência | Cartel 36, Lisboa

Mais um sábado, mais um takeaway.

 

Admito, este local, para mim, com a pandemia, era novo.

O Cartel 36, é um restaurante inspirado no ambiente de um esconderígio, de uma adega, onde entram os amigos, para comer coisas boas.

Num ambiente de segredo e contrabando de coisas boas, foi uma ótima surpresa, até porque andámos numa fase de ver Narcos e documentários de aeroportos, cá em casa.

 

Entramos em contacto para programar um takeaway para sábado, ao jantar, exatamente porque é um restaurante que aposta nas ótimas carnes, com muitas opções de acompanhamentos low-carb e mais saudáveis, sem qualquer detrimento do sabor.

Em conversa, a muito muito simpática equipa, ao saber que iria partilhar a experiência convosco, ofereceu-nos um desconto de 20% e a entrega grátis, num espírito de "uma mão lava a outra" e no meu verdadeiro espírito "apoiar os negócios locais".

 

E então o que chegou cá a casa?

  • Dois croquetes de cozido à portuguesa, dos melhores que já comemos: as diferentes carnes notam-se e a entrada está no ponto de salgado;
  • Uma dose de maminha maturada, em ponto médio; mal passado, com um bom molho de azeite com alho; uma dose de lagartos de porco grelhado com molho de pimentão vermelho caseiro: eu adoro pimentão, mas, para quem não goste o sabor é bem leve, do pimentão fica apenas um after-taste, e digo isto de forma positiva, porque significa que não é overpowering. As doses de carne vêm bem servidas e ainda sobraram para um dos almoços desta semana;
  • Uma dose de legumes braseados: um bom mix, com os meus favoritos (brócolos, couve-flor e milho); uma dose de cogumelos gratinados com queijo da Ilha: AS ESTRELAS DA NOITE. Não estou a exagerar, mas foram dos melhores cogumelos (frescos) gratinados que já comi, e ainda mais em takeaway. A dose de legumes braseada veio bastante bem servida, como se pode ver nas minhas stories;
  • Um Sweet Cheese de framboesa: a interpretação da equipa de um cheesecake, mas com crumble de bolacha digestiva, creme de queijo caseiro pouco doce, e compota de framboesa. Muito bom, bem equilibrado, e que deu bem para dividir pelos dois.

 

Resumindo: têm saudades de uma boa carne grelhada?

Querem manter a dieta, agora que a primavera espreita?

Querem apoiar um negócio local com uma equipa do mais simpático que conheci, em ambiente de takeaway? Falem com a equipa do Cartel 36 e escolham o vosso próximo jantar de fim de semana.

Para duas pessoas, tudo isto ficou a rondar os €32, uma boa qualidade-preço, especialmente para a qualidade dos ingredientes, nas proteínas; e para o tamanho das doses.

Nós adoramos, e já está na lista de restaurantes que quero visitar pessoalmente, quando o confinamento permitir.

Para mim é um 4,5/5 e recomendo a quem esteja por Lisboa.

 

Cartel 36 Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

*post não patrocinado, mas com desconto na refeição oferecido pelo restaurante

Qui | 11.03.21

Receita | Mix de leguminosas crocantes, no forno

Este mês vou ser vossa 'miguinha: está de volta o meu lado low-carber com uma receita viral, que vi nos Reels do Instagram: Grão de bico picante e crocante, feito no forno.

 

Ora, eu, para ser diferente, e porque tinha um restinho de feijão frade para demolhar, misturei grão e feijão e fiz a minha versão, que acompanhou o jantar há umas semanas.

Seguem-se os ingredientes, para 2 refeições, como acompanhamento:

  • 1 folha de louro, grande;
  • 150 g de grão de bico;
  • 80 g de feijão frade;
  • 1 dente de alho, picado;
  • 1 colher de chá de sal;
  • 1 colher de café de 3 pimentas, moída;
  • 1 colher de chá de pimenta cayenne;
  • 2 colheres de café de paprika fumada (doce);
  • sumo de meio limão;
  • 2 colheres de sopa de azeite;

 

Cozam primeiro as leguminosas em água com uma folha de louro - no meu caso, que uso leguminosas secas, demolhei antes cerca de 24 horas, e depois de triplicarem tamanho, cozi cerca de 45 minutos.

Num pirex próprio para ir ao forno, misturem as leguminosas com todas as especiarias, o sumo de limão e o azeite.

Pré-aqueçam o forno a 180ºC durante 10 minutos, e depois coloquem o pirex na grelha a meia altura, com o forno a 180ºC, por cerca de 40 minutos. Eu fui mexendo as leguminosas a cada 15 minutos, para garantir que realmente secavam e "apanhavam" todos os sabores, por igual.

Resultado: leguminosas saborosas, simples de fazer e realmente crocantes, embora no feijão frade se tenha notado ainda mais. A ideia é mesmo praticamente "fritarem" nessa pouca gorgura saudável, para mudarem de textura.

Uma ótima variação para as saladas que a primavera agora pede, já que basta deixar arrefecer e podem juntar um pouco de rúcula, ovo e atum e fica... perfeito.

graobicopicantenoforno_meninamulher

 

(Usando o meu código MENINAMULHER têm sempre 5% de desconto na Villarrica Gourmet Store- acumulável com as promoções existentes - e aos €25 conseguem envio gratuito.)

 

*post não patrocinado mas com código de afiliada

Seg | 08.03.21

Leituras | As Filhas de Eva, Louise O'Neill

Escolhi este livro para o final de fevereiro, de propósito para o terminar pertinho do Dia da Mulher - e sim, terminei-o há 6 dias.

Foi-me indicado por um amigo que é especializado em estudos de género - embora alguns de vós possam conhecer o livro de clubes de leitura digitais.

 

Estamos perante o romance distópico de Louise O'Neill, que arrecadou prémios aquando do seu lançamento em 2014, e que é considerado uma obra-prima do género Young-Adult.

É realmente uma distopia muito realista, especialmente para nós, mulheres.

Imaginem um mundo em que as mulheres são desenhadas para os Homens, que comandam um novo Mundo.

Imaginem que desde pequenas são educadas de forma controlada, fechada e obsessiva com o peso, a imagem e as expectativas pensadas pelos outros.

Imaginem que a vossa vida é decidida aos 17 anos, e que, se não se enquadram, simplesmente deixam de existir, são apagadas, como erros de desenho que foram.

É este o ambiente pesado e quase claustrofóbico de "As filhas de Eva".

Eu, mesmo com 35 anos, consegui rever-me, preocupar-me e sentir-me afetada como quando tinha 20 e pensava e sentia (quase) tudo o que se passa naquelas páginas.

É um livro difícil em certos momentos, emocionante em muitos outros, e em que o contar do relógio se sente, a cada capítulo lido.

Sem dúvida, um livro importante de ler, especialmente a partir da adolescência, independentemente do género.
Podem encomendá-lo na Bertrand, e ler opiniões de outros leitores.

 

*post não patrocinado, mas com código de afiliada.