Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qui | 19.09.19

Experiência | 7 Francesinhas, Porto

Eu disse que estava a morrer de saudades de francesinhas, lembram-se?

Então, mal me apanhei no Porto, no fim de semana do meu aniversário, procurei um restaurante Zomato Gold e lá fui eu.

 

O 7 Francesinhas é na zona de Cedofeita, onde eu passei 4 anos da minha vida de estudante.

A principal diferença, desde 2007?

Aquilo agora está "fino", "gourmet", turístico... mas quem sabe, sabe... e, apesar do movimento, consegui estacionar o meu carrinho no mesmo lugar de antigamente e caminhar pelas ruas a contar as minha memórias ao m-R.

 

Escolhi o 7 Francesinhas por ser Gold e assim ficar mais barata a refeição, não engano ninguém.

Claro que passei pela App antes para saber o que me esperava. E apesar das mixed reviews, arriscamos - falavam bem da francesinha, e isso é que me importava, né?

O que tenho para dizer?

Boas carnes, especialmente a salsicha e a linguiça frescas. Feita em forno de lenha, o queijo vinha divinal. E as batatinhas caseiras? Ui, ui: boas!

Mas... o molho, apesar de saboroso, para mim faltou-lhe um toque de picante e era um pouco líquido demais.

O atendimento é muito fraco: confuso, lento (apesar do restaurante só ter 5 mesas ocupadas), os funcionários desaparecem e quando voltam, enganam-se nos pedidos...

Acho a lista do restaurante longa demais, para o movimento que tem, mas confesso que, pelo que vi nas outras mesas, as pizzas tinham bom aspeto.

 

Resumindo: com Zomato Gold descontaram o preço de 1 francesinha, as bebidas estão a um preço normal, as entradas são caríssimas para o que são... ficou tudo a rondar os €30 para 3 pessoas, sendo que assim o Gold cumpriu o seu papel; e o 7 Francesinhas matou-me os desejos.

Mas não toma o lugar da minha querida Casa da Pedra.

 

7 Francesinhas Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

*post não patrocinado

Ter | 17.09.19

Cada vez mais a caminho da #weddingseason 2020!

Pois é, já estamos a meio ano do "casamento do ano" de 2020.

Não, não é o meu!

Mas é o primeiro a que vou como Dama de Honor. 

Já desde o casamento da minha irmã (há 17 anos...) que não me envolvia tanto e vivia tanto a preparação de um casamento.

 

Este fim-de-semana foi dia de experimentar os vestidos! E os sapatos.

http://bit.ly/2XohPPS  335042

(algo me diz que esta "racha a la Angelina Jolie ou vai correr muito bem... ou vai dar muito trabalho!)

Não posso mostrar o vestido, vestido, a pedido da noiva - até porque ainda foi para acertar: tirar cerca de 12 cms na altura apertar um bocadinho no peito cortar um pouco das alças e tiras que fazem os detalhes lindos das costas (porque eu tenho metro e meio ).

O tecido é muito melhor do que esperava: cetim bem pesadinho e opaco, que ajuda a estruturar o corpo. As alças são muito bonitas, só é preciso ter cuidado com o encorrilhar...

 

Sim, usei o meu próprio código (7sabel15) para conseguir o vestido mais barato: #pelintra4ever!

E pelo caminho, ajudei a outra Dama de Honor a escolher o seu vestido (que em princípio vai ser este), para fazermos pandant de cores e de marca.

http://bit.ly/2XohPPS  335042

 

Aaaah e encontrei os sapatinhos perfeitos, nos saldos da Seaside! 35, tacão de 5 cms largo, bonitos, confortáveis e por €20! 

 

Aproveitem também, façam como nós: até 30 de setembro têm ainda +15% de desconto ao usarem o meu código 7sabel15 em qualquer compra no website: https://www.shein.com 

 

Agora sim, podemos começar a dedicar-nos, com total energia à organização à despedida de solteira e ao miminho que queremos oferecer à noiva. 

 

Que vos parece? Usariam qualquer um dos vestidos?

Acham que vamos fazer boa figura na entourage da noiva?

Sex | 13.09.19

Sapos do Ano 2019!

Pois é, já estamos quase no fim do ano, aka, altura de mimar e motivar os autores da nossa vizinhança, atribuindo os Sapos do Ano.

 

Para já estamos em fase de nomeações e eu já nomeei nos meus do coração e do dia-a-dia! 

 

(E não, não me auto-nomeei. Deixo isso para vocês, se acharem por bem.

Eu eu a repetir a façanha do ano passado e a ser Sapa do Ano no Lifestyle, 2 anos seguidos?! 

Era lindo! )

Qui | 12.09.19

Então e afinal: o que chegou e como correu a encomenda com a Micolet?

Agora que já passou o meu dia de aniversário, já posso partilhar convosco as peças que encomendei na Micolet.

Eu sei, eu sei. Fui eu que fiz a encomenda, que decidi o que escolhi, mas gosto de manter a mística. De marcar estes momentos como especiais, por isso guardei para esta semana.

 

Ora, fiz a encomenda numa 2ª feira, na 4ª à tarde estava em casa.

Bem empacotada, sem exageros de proteções, e tudo em papel e cartão, fora a fita-cola e as etiquetas de identificação. Sim, para mim consumo consciente também é isso, ou faz algum sentido ser bio e reciclável e environment-firendly e depois encher todos os espacinhos de uma encomenda com plástico de bolhas protetor?

No dia seguinte a receber a encomenda, li um post da Inês Pais que me fez ter ainda mais certezas desta minha escolha de aniversário: 

- Cada pessoa compra, em média, mais 60% das peças do que comprava no ano 2000 e só as mantém metade do tempo;
- A maioria das roupas acaba no aterro; só uma percentagem mínima segue para doações ou é revendida como roupa em 2.ª mão;

Podemos (1) valorizar o que já temos, (2) remendar antes de deitar fora, (3) trocar peças com um/a amigo/a ou familiar, (4) pedir emprestado, (5) arrendar, (6) comprar em 2.ª mão [...]

 

 

Conforme partilhei aqui, encomendei duas malas satchels, pequenas mas com arrumação e boa tira para colocar a tiracolo, que, desde que me diagnosticaram a hérnia, só assim - estou mesmo proibida pela médica de aparecer com os "malões" (onde cabia meio mundo e o outro!) às consultas.

Escolhi uma mala castanha da m30, mais para o outono-inverno, em bom estado.

E uma mala nova, com etiqueta, da Misako, em rosinha para este fim de verão, mas também a piscar o olho à próxima primavera.

 

E depois... fui em busca dos óculos de Sol do meu coração.

Uso óculos de prescrição desde os 6 anos. Já trabalhei na área da ótica (mal saí da faculdade, há uma vidaaa atrás...) e adoro óculos de Sol, como auxiliar de visão, mas ainda mais como acessório - eu é óculos e relógios...!

Mas, demorei a investir nesta área.

Comecei há 4 anos, com o dinheiro que ganhei no Brainstorm, comprei uns caros, todos xpto numa ótica de topo, em Lisboa. Mas... raramente os uso, com medo de estragar. 

Então há 2 anos aproveitei uns saldos e comprei uns acessíveis, e esses usei-os tanto que agora... estão largos, riscados e feios.

Plim! lá fui eu espreitar se a Micolet cumpria o prometido e consegui uns Taylor Morris, avaliados em €140 (e a rondar os €200 no website oficial), por... €46 (pouco eu paguei menos nos saldos de há 2 anos)! De acetato, com detalhes dourados sóbrios e lentes espelhadas sem serem coloridas. Clássicos e acredito, intemporais. Direitinhos na caixa original, com paninho de limpeza em perfeitas condições. Estou mesmo orgulhosa desta escolha!

Porque a minha encomenda ultrapassou os €59,99 tive direito a portes grátis, mas os valores de portes são os habituais em lojas online (entre os €6 e os €4, dependendo do valor da compra, se não se atingirem os €60). E ainda recebi um chupa-chupa! 

 

Há uns tempos, falei no Instagram e no Facebook sobre vender algumas peças de roupa para lhes dar nova vida e sentir que participo verdadeiramente na economia circular e dimuno o impulso do fast-fashion. Aqui, entre nós, vou falar com a equipa da Micolet tendo em conta o que apresentam nos seus termos e condições, para saber se me posso aliar a eles e ampliar esta minha ideia.

O que vos parece? Alinhavam, acham que as minhas peças teriam interesse?

 

Querem ver as pecinhas em detalhe? Passem por aqui.

Acho que não dá para esconder, deste lado escreve uma fã da Micolet.

Juntam-se a mim?

Qua | 11.09.19

Leituras de verão

Este ano personifiquei ao máximo a "leitora de verão".

Entre julho e estes dias... li 4 livros, e vou na 5ª leitura.

Há muito tempo que não me sentia tão produtiva "literariamente".

Comecei com este, que adorei, senti-me mesmo na entrevista, a viver as memórias do autor, de como foi viver nos campos de trabalho Nazi:

 

Depois fui conhecer melhor Kafka - e agora percebo melhor as estátuas que vi em Praga:

 

Preferi este última- é uma short-story, o que permite acompanhar, ainda que levemente, tudo o que as mudanças acarretam.

"O Processo" tem tudo para ser fantástico, mas... nota-se demasiado que foi publicado inacabado e perde um pouco o sentido, mais para o final.

 

E, em Salamanca, li este, oferecido pela minha querida Sofia:

Esperava-o um pouco mais "cómico", pela sinopse, mas é um bom livro factual e histórico, se bem que um pouco repetitivo nalguns acontecimentos - acho que podia estar melhor organizado em termos cronológicos, iria logo dar uma outra fluidez à leitura.

Agora estou neste:

Um dos meus "papões" pessoais, que fujo de livros mais científicos. Mas um amigo recomendou-o, emprestou-me e tem-me estado a motivar - vou a meio...

 

Já há muito que não permitia à minha cabeça relaxar e "viver" de e nos livros.

E soube muito bem, talvez por ter apostado em leituras tão diferentes, senti-me enriquecida.

 

Destes, já leram algum?

Algum vos deixa mais curiosos?