Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qua | 08.08.18

No Dia Mundial dos Gatos... novidades sobre os patudos lá de casa!

Para a semana faz um mês que o Freddie chegou lá a casa!

(Sim, chama-se Freddie, as in Freddie Mercury - whoelse! - a madrinha? Shô Dona Pandoraacurate e thoughtful como só ela!)

Meu Deus, já passou um mès? Parece que se juntou a nós ontem. Ainda tudo é novo, ainda descobrimos truques ou manhas ou mimos novos, todos os dias.

Por exemplo, começou a ronronar esta semana. Só à noite, só comigo e só quando se despede à laia de "boas noites".

diamundialdogato_meninamulher

 

A habituação entre eles já teve melhores dias...

À 2ª semana pareciam estar a ficar amiguinhos, o Snape depois de bufar e rosnar, já partilhava a caminha - que comida, água e casa de banho sempre foram capazes de partilhar...

Mas, desde esta semana o Snape regrediu. Voltou aos bufares e rosnares e bufares. Não quer o Freddie por perto e, por isso, passa o dia sozinho, no topo do móvel mais alto (para onde o Freddie ainda não consegue saltar) - só assim tem descanso, convenhamos.

 

O Freddie vai a caminho do 5º mês: come muito, salta muito, segue-me para todo o lado, qual ninja; tem muitaaaa energia e ainda não aprendeu, na totalidade, o que significa "Nãaaaaooo!", "Desce!", "Não se vai para aí!" e "Deixa o teu irmão em paz!"  O que eu acho que é o que mexe com os nervos do Snape, na sua qualidade de irmão, já na meia-idade...

 

Eu tenho pena, de ambos, sonho que se hão de entender. Tento dar mimo e compreender por igual. E sim, derreto, quando percebo que o Freddie me segue como "a mãe".

Maaaas a minha companhia para adormecer continua a ser o Snape (até porque o Freddie ainda não tem horários de sono regulares, e se o deixassemos solto com o Snape, NINGUÉM dormia!). São os ronrons e turrinhas dele que me dão (muitas vezes) o sorriso mais verdadeiro do dia. É o meu "bebé grande" e isso nada nem ninguém toma dele - gostava tanto que ele percebesse melhor isso... 

 

Já o m-R... tem dias em que não tem tanta paciência ou experiência para estas relações "azedas" de "irmãos gatos"...

Acho é que tenho 3 gatarrões em casa, para domar - Deus me dê força! 

 

Alguém tem dicas para normalizar a relação entre novos irmãos-gato? Dicas?

(O nosso veterinário foi muito frio quanto a este assunto e isso entristeceu-me...)