Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Ter | 10.07.18

Paralelismos

Estou afónica.

 

Partilhei, ainda na semana passada, que uma constipação me apanhou, sei lá bem eu onde...

Mas, eu sou uma mulher ou uma rato? Uma mulher, logo, armei-me em teenager inconsciente e, no sábado, fui ter com os meus sobrinhos e toca de esplanadar e ir à piscina.

 

Nem o banho quente logo a seguir me safou. De ficar afónica.

Toca a atacar com medicação.

Mas não vejo a minha voz voltar antes do final da semana.

Até lá... até lá pareço um adolescente na mudança da voz.

Giro, giro é o pessoal com quem tenho que falar ao telefone. Ficam mais constrangidos eles que eu!

 

Agora, o paralelismo.

Afónica, perco mesmo a voz.

Não tenho pensado, nada de ginásio, nada de atividades sociais.

Calada, mas porque não tendo a minha voz, também não me apetece falar, socializar.

 

Estou tão calada que o Snape não reconhece a voz que sai.

Estou tão silenciosa que me esqueço e abro a boca, a achar que vai sair som.

 

Afónica os meus dedos perdem voz e a minha mente perde a capacidade de falar.

Agora, não me venham dizer que o ser Humano não é um animal estranho...