Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Ter | 28.11.17

Um Natal menos consumista, por favor!

Hoje, a minha decisão de ser menos consumista está-me a "bater forte".

 

Em conversa com uma amiga do coração e com o meu bff, percebi que isto de este ano não ter desejos, nem necessidades que se possam resolver com "lembrancinhas" é mesmo um momento diferente na minha vida.

 

Não tenho grandes desejos porque estou a viver uma dicotomia pessoal:

não me falta nada

não quero nada, porque a minha auto-imagem está tão baixa, que rosno à simples ideia de gastar dinheiro em mim.

 

Necessidades?

"Apenas" o resto da mobilía da sala (onde ainda tenho uns €300 para gastar) e as cortinas japonesas para as janelas dos quartos (serão uns bons €80 nisto.

Está tudo no IKEA, mas eu nem me atrevo a lá por os pés, nestes meses!

Mas *IKEA querido, se me quiseres "adotar", eu aceito, de bom grado*

 

As compras de Natal estão tratadas.

As dicas de poupança deste ano?

  • Fiz a lista de natal em outubro - lista personalizada, nada de lembranças vagas ou vãs - utilidade acima de tudo!
  • Fiz as compras entre outubro e novembro
  • Fiz escalões de dinheiro a gastar e estipulei bem "quem merecia qual tipo de presente" - deixemo-nos de hipocrisias: há naughties e nices, e mesmo dentro desses, há que não ter "mais olhos do que barriga", porque há quem mal pense em nós.

Por mim, os meus presentes de Natal eram - EVO segura-te aí na cadeira, que aqui vai de wishlist:

  • Chegar a minha casa e tê-la limpa e arrumada (e os quadros e as decorações nos seus sítios), por magia.
  • Ter a mobília da sala completa, os candeeiros do quarto de hóspedes e as cortinas.
  • Chegar ao meu guarda-vestidos e livrar-me dos "monos" - e magicamente ter apenas e só roupa que me represente e que me faça sentir bem (e esse é a parte mais difícil, neste momento).

 

O meu Natal, este ano, é menos consumista para mim, os miminhos de quem me rodeia estão tratados, sob o lema: utilidade.

O meu Natal, este ano, é menos consumista, porque é um Natal vivido "dentro de mim", para o bem e para o mal - e para o não-cor-de-rosa da vida.

O meu Natal, este ano é menos consumista, porque é feito de desejos cliché de dona de casa, pseudo-adulta, com problemas de auto-imagem.

 

Resumindo: não sei se recomendo o meu Natal pouco consumista a alguém...