Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Ter | 19.11.13

menina-Mulher Status Report

m-M anda em baixo. Triste e desmotivada. Cansada, a arrastar-se pelos cantos e pouco crente.

m-M cruza-se com esta imagem no Faicibuqui e obriga-se a trazê-la para aqui. porque não se pode esquecer do ponto 4, 5 e 6.

Os outros a mal ou a bem, m-M enfia na cabeça à martelada.

[m-M quando não sabe o que fazer da vida, das duas uma: ou não dá títulos aos posts, ou fala de sim mesma na 3ª pessoa, à laia dos jogadores de futebol] 

Ter | 19.11.13

E aquele Senhor?

Sábado arrastei-me de casa.

Sim, obriguei-me a sair do sofá, a apagar a tv, a trocar de roupa e maquilhar-me.

Desde 6ª à noite que aquela sensação de "não sei o que ando aqui a fazer", "a vida não me sabe ao mesmo", "quem me dera fazer x,y,z..." voltou. Voltou porque... não sei. Talvez porque vivo a dualidade do cansaço e da desmotivação, mas de, ao mesmo tempo ter tanto por estar grata. Vivo a dualidade de ter o meu coração dentro de mim, a sonhar alto; e de o ter também a 300 km e não poder sonhar demais, sob pena de me estar a criar demasiadas expectativas. Vivo a dualidade de ser coração ao alto e pés muito na terra e torcer o nariz a quem não é como eu.

Mas voltando ao ponto: Sábado obriguei-me a sair. Com a desculpa de ir comprar a única prenda de Natal que faltava... acabei a comprar mais um presente de Natal para a minha mãe (este ano conta com 3) e para o meu afilhado/menino do coração. Comprei ainda doces para os amigos a quem me juntei nessa noite. Doces para mim. E detalhes de beleza, que também ando precisada...

Ia eu a sair do Jumbo - abençoado sejas, que moras a 5 minutinhos de carro de mim! - e cruzo-me com uma daquelas pop-up stores, que abrem por estas alturas nos Centros Comerciais, para aproveitar a enchente de Natal e parei.

Páro encantada com os espanta-espíritos. Já fiz coleção. Já me trouxeram espanta-espíritos de todo o País... Hoje em dia, só não tenho o meu favorito "exposto" porque não posso furar paredes nem portas lá em casa. Páro encantada, com as cores, as penas, o aroma da lojinha. Entro, a pensar em "só mais um miminho de Natal" para a minha Cristina. Vou directa às pulseiras: encontro uma pulseira da "nossa" pedra, a pedra colorida e cheia de vida, que ela me ofereceu para me animar há tantos anos atrás. Encontro uma Shimbala para mim, para substituir a pulseira que a I. Palomita fez para mim com tanto carinho, mas que já chamava, baixinho, pela reforma.

Ao dirigir-me para a caixa, o Senhor começa a falar comigo, primeiro meio a "medo", depois... abertamente leu-me. A energia, a alma, o meu propósito neste mundo. Reconheceu o meu coração, o "trabalho" que trago no dedo e tatuado nas costas. Disse-me "dá gosto encontrar uma alma como a sua. Cândida, serena, daquelas que não são fáceis de encontrar, mas que não queremos largar mais". Engraçado como, de há quase 5 anos para cá, vou encontrando, quando menos espero, pessoas, que do nada, me repetem estas palavras, esta "leitura", este sentimento.

Deixou-me alguns conselhos, (re)afirmou que o amor que eu e a minha Cristina temos ninguém mata nem enfraquece. Sorriu à minha luta, à luta da minha mãe, ao simbolismo que dou a tudo o que posso/conheço/partilho.

Saí de lá com 2 mimos para a minha Cristinha, num embrulho de papel lindo, da cor dela. Uma pulseira minha, que veio para ficar. E o coração quente, quentinho por perceber que, mesmo não tendo "trabalhado tanto em mim" quanto já trabahei ou quanto devia, afinal sou visível. 

Ter | 19.11.13

5 coisas que gostaria de receber no Natal...

Ora cá está um "inspira-me" que me toca no coração...

  1. Fora o famoso relógio - de que tanto já aqui se falou;
  2. Globos de neve para a minha coleção - já vou nos 10, mas um até se partiu e tudo;
  3. Um presépio pequenino, daqueles fofos - também para uma coleção que quero começar;
  4. Um emprego, daqueles com contrato assinado;
  5. Os trabalhos do 1º Semestre acabados, com notas simpáticas!

 

Lá está: como ontem ficou provado numa conversa com o menino-Rapaz, "tenho alma de pobre", não peço grandes presentes, nem penso em Marcas e novidades para estrear. Penso sim em presentes dos que recompensam, dos que aquecem o coração. Dos que nos protegem, dos que nos dão força no dia-a-dia, porque há mais 364 dias... depois do Natal.