Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qua | 03.07.13

Diferente

Há 300 e 60 e muitos dias conhecemo-nos. Leap of faith por parte dos dois. Viramos numa esquina pouco habitual e, mais dia, menos dia, encontramo-nos - mas dessa história falaremos outro dia...

A verdade, o ponto fulcral, o que retiro de tantos dias, de dias a menos, tantas palavras, tanta voz, tanto sentimento onde antes havia menos é que me ensinaste a gostar de uma palavra que antes odiava: diferente.

Sou diferente. Aos olhos de uns por coisas bonitas, aos olhos de outros por ignorância. Aos teus porque sou uma mistura de fantasia, de realidade, de certinha e de louca, de teaser e dequem quer sempre aprender mais. Abriste-me portas que não conhecia, onde serdiferente é motivo de orgulho, de luta, de aceitação. Ao não me tratares de forma diferente ensinaste-me a aceitar melhor toda esta diferença que sinto desde que me conheço gente.

Hoje foi um dia de voltar a lugares do Passado. Sorrir ao tempo que passou, sentir Amor por um lugar que me trouxe tantas lágrimas. Saudades das boas de quem já lá não está - quase ao ponto de ter pena de ter saído. Mas, se não tivesse saído não teria crescido, vivido estas escolhas. Senti-me crescida, crescemos, eu e o sítio e as pessoas que ainda lá estão. Senti que não me apetece lá voltar, que não é por motivos seguros e tal como há 2 anos saí cansada, derrotada, empurrada, de lágrimas nos olhos; hoje desci as escadas com beijinhos e abraços e sorrisos e a sensação que não volta a ser a minha casa, que prefiro ser visita. Segui para um lugar de reflexão, one me ouvi, o meu corpo, as minhas lágrimas, as minhas forças e fraquezas, para durante a viagem de carro para casa, dar comigo a pensar na palavra diferente. Nas nuances de beleza que tem, em tudo o que se envolve e sei, que mesmo que no Futuro um dia não me lembre que mais te possa agradecer, sou-te grata por me ensinares a sorrir ao escrever: Sou diferente.

Qua | 03.07.13

Dos planos para a reforma

Ainda ontem falavamos e cheguei à conclusão: Agora que converti o menino-Rapaz às maravilhas das tostas com queijo Philadelfia e compota de frutos vermelhos. Que sei fazer panquecas. Que invento receitas quase todos os dias... Chegou o Verão e as memórias da tarde em que desenhamos o plano para a nossa vida pós 70. E a OST é esta música - e condutores inocentes a ver-nos dançar feitas malucas no meio da rua:

´
Nada como deixar a cabeça sonhar um bocadinho, enquanto "espero" pelo resto do dia...
Ter | 02.07.13

Always

Hoje que fiz o telefonema que mais ansiava e temia das últimas 2 semanas e o resultado foi ambiguo e agri-doce como tudo. Hoje que tive uma entrevista sem sabor de manhã e me marcaram uma entrevista para amanhã num lugar do Passado. Hoje que a minha fé voltou a oscilar. Hoje já me fartei de chorar deste lado do ecrã. Hoje tu está aí. Sempre. Mas hoje mais. E é por isso, por tudo, por nós, que não escondo ao mundo que te Amo.

  • Ela: eu tnh fé...acredito q vais ficar

  • Eu: a minha fé anda muito flutuante

  • Ela: é normal...cansaço
  • Eu: tenho dias em que sinto

    sinto nos ossos
    que vou para lá
    que vai tudo mudar

    depois há dias como o de hoje
    já me fartei de chorar

  • Ela: ooooh...n quero ver-te assim
    é uma questão de tempo...eu sei que é tortura
  • Eu: desanimei

    senti me posta de lado
    ouvi a porta a começar a fechar
    só tu e o E. me fizeram rir

  • Ela: mas calma
    há dias piores...mas nda de perder as forças...e para fazer rir...cá estou
  • Eu: não está cá só para isso 
  • Ela: mas gosto de poder ajudar a fazer-te sentir um bocadinho melhor nestes momentos de agonia
  • Eu: fazes sempre

    SEMPRE

    tu és tudo o que me falta e completa e sabes isso

  • Ela: ooooooooooooooooooooooooownnnn
    opah, opah, opah...isso n é justo
    lá tnh eu que pôr coraçõezinhos <3
  • Eu: LOL

    se forem pa mim
    aceito
    humpf

  • Ela: <3 
    A ti devo a sanidade que me foge, mas que vive em ti. Por algum motivo nos cruzamos naqueles corredores que não aproximavam ninguém e somos quem somos hoje. Dark and Twisty, crentes, inertes ou a tentar avançar. És sempre o pedaço que perdi pelo caminho e encontrei em ti.
Seg | 01.07.13

Não sei...

Não sei de nada.

Divido-me entre acreditar e sentir que tudo me puxa para a mudança... e achar que estou a alucinar.

Amparo-me nas vozes que longe ou perto me dão força. Sentem no ossos a tal mudança. E me levantam. (Ouvir a minha Cristina dizer-me que sente que é a minha vez, que também sente, significa muito - porque ela nunca me mente, ela never sugarcoats)

Sim, é verdade, o que eu previa, acontece quase todos os dias: sozinha, "sem objectivos" nesta casa, afundo-me. Deito-me na cama, zappo o dia away, luto um bocadinho, obrigo-me a sair de casa, vou fumando cigarros, visito a Praia (sem abusos e converso com as ondas do Mar). E espero, espero que este arrepio nos ossos seja verdade, espero que esta onda grande que me faz sonhar seja verdade. Que a forma como agora olho para os elementos do meu dia-a-dia seja um ressoar do Futuro, no Presente.

Tento não estar tão parada quanto me apetece. Relembro-me (e relembram-me) que faço o melhor que sei/posso.

Mas não sei. Mão sei de nada.

Pág. 3/3