Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Seg | 29.04.13

Do fim-de-semana

Embora este fim-de-semana tenha tomado uma decisão, tenha aberto o meu coração à roomie (que conhece o nosso relacionamento, muuuuito bem, desde o início); embora tu tenhas tido más notícias no fim-de-semana e eu, no meio do estudo, das confusões e da incerteza tenha feito o meu melhor para estar ao teu lado, hoje, nos destaques do Sapo, encontrei esta "descrição" de namoro à distância:

Um dia li que sentir amizade pela pessoa que amamos significa que a paixão se apagou. Eu não penso isso. Bem pelo contrário. Sinto-me tua confidente e amiga e sei que sentes o mesmo por mim. Sinto-me apaixonada por ti como no primeiro dia mas também existem dias em que me sinto aborrecida contigo (aborrecida parece-me bem, nem muito agressivo nem muito brando). E nisto… fazes-me falta!

Desde dia 19 que vivo esta dicotomia. De me sentir aborrecida, mas preocupada contigo. De querer começar a largar, mas sentir saudades/falta. De não querer afundar a minha vida toda, duma vez. 

E tu vens, e já perguntas pelo próximo fim-de-semana. E desabafas comigo. E perguntas sobre os estudos. E eu sorrio, mas um bocadinho meu, continua aborrecido...

Resultado: saí de casa com as legging e o casaco de cabedal que tu tanto gostas e comprei mimos para mim: noodles, peanut butter, gomas. Uma saia linda para o Verão.

E abri a caixa de Pandora e sinto que pelo menos, já não "minto" a todos, sinto-me mais verdadeira comigo mesma.

Sex | 26.04.13

Ver, com os olhos da alma...

Será que vês, como eu, com os olhos da alma?

Não me parece... já me disseste que não és o tipo de homem de "ver a Luz".

Sinto, na segurança que reconheces nas palavras dos outros, de quem te conhece, que pensas que este é só um buraco no caminho, que eu estou habituada a quedas e tu nem te assustas com as minhas nódoas negras. Acredito que, para ti, só os planos abrandaram, que o sentimento, a partilha e a amizade crescem um bocadinho todos os dias.

E andas na tua vida, cumpres as obrigações e mostras-me os teus pedacinhos de felicidade e vais falando.

Mas eu não. Eu estou a ter dificuldade em recuperar a crença. Eu luto contra a minha própria mente que me quer dizer que entramos em contagem decrescente. Eu não quero aceitar porque me habituei a viver contigo.

Enrosco-me na cama, cumpro o mínimo das minhas obrigações, espero algo mais de ti, que não chega, e analiso todos os bocadinhos que chegam.

Guardo para mim estes meus pensamentos porque conheço, bem demais onde vão dar. Impeço-me de tos contar porque tenho medo, porque sei que não és lutador e ainda queria viver tanta coisa contigo. Por isso continuo a repetir os últimos 8 meses da nossa vida, mas com o coração apertado e nublado. Quando tu me tinhas trazido Sol...

A inveja e a velhice das mentes cortaram as pernas aos meus planos, à minha vontade de acreditar e eu viro-me para ti, acreditando que continuando a fazer círculos no calendário me ajuda a viver.

Realmente, a minha vida nunca me deixa ter o lado bom durante muito tempo. E eu não quero ver os quadros que a minha alma pinta.

Qua | 24.04.13

Inútil

É assim que me sinto desde Sexta às 19 horas.

Chegaste e saímos e apresentei-te às minhas meninas e bebi como não bebia há meses. Viajamos e sorrimos e foste amoroso como só tu sabes saber. Incluíste-me, pediste-me opinião muitas vezes, ofereceste-me o pequeno almoço, tocaste para mim primeiro, cozinhaste-me o jantar. Enroscaste em mim e dormiste e vimos tv e partilhamos o descanso com os gatos.

Vivemos como eu imagino viver conitgo todos os dias a teu lado.

Cada dia recebo mais provas de que somos, de verdade, um casal, que não há dúvidas, que até quem não acredita muito nas tuas "ideias" acredita e me quer ao vosso lado. E ligas-me mal eu te peço e queres saber da minha vida.

Mas dou por mim a sentir-me inútil, envie eu 3 ou 15 cvs, mais de metade para perto de ti. Sinto-me inútil porque os meus dias ficaram vazios por algo que foi construído contra mim. Sinto que não ando aqui a fazer nada... e tu mal reparaste. Para ti sou a Super-Mulher, não sou? Extremamente inteligente e que em 5 minutos vai ter a vida resolvida e tudo a correr de novo bem.

Sinto-me inútil e mal tenho vontade de me levantar da cama. De fazer planos ou sonhar.

Para quê?

E tu já notaste, mas a tua personalidade apenas te permite estar ao meu lado, falar e tentar encontrar motivos para rir, para durante os nossos bocadinhos eu não estar sozinha.

É o melhor que consegues fazer e eu reconheço isso e foco-me na próxima data e na próxima "fuga". Mas começo a sentir que não chega. Não chega, porque me sinto inútil, sem qualquer valor a acrescentar.

Pág. 1/6