Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qua | 21.02.24

Olho pela janela

m-M
E há dias em que penso: já vivi tão mais do que imaginava.   Agora percebo porque sofria nos 20's ao imaginar que nada ia acontecer da minha vida. Porque fugia para a frente, porque resiliência era o meu nome do meio.   E enquanto olho pela janela, percebo que foi isso que me levou "longe", a onde estou. Mesmo nos dias que parecem iguais aos de há 15 anos. O destino é outro, a cabeça, sempre na sua "linha" abaixo, já não desespera, "só anseia". Pensa muito, ainda mais nos (...)
Dom | 18.02.24

Casa

m-M
Casa é sempre casa, dizem. E é.   Mas o que não te contam, quanto te desenraizas, é que Casa passa a ser o mundo, o caminho e o teto que tens; não só aquela, a primeira.   Ninguem te diz que voltar a Casa é sempre Amor, mas também é dor, desconforto, saudade, sensação de não-pertencer.   Tenho a sorte de ter poucos, mas de poder, a cada último dos regressos, ter mais e quem, com sorrisos e abraços, me coloque pensos-rápidos de carinho e amizade, no coração e no (...)
Ter | 13.02.24

Das coleções, que são memorias

m-M
Mudamos o escritório/ estúdio de divisão. Para termos ambos mais espaço. Eu para o trabalho e os livros, ele para a música e o laser.   A arrumar as prateleiras, encontrei a minha coleção de postais de aniversário. Tenho postais desde 1997 até ao ano que passou. Foi de aquecer o coração ver as palavras, os desejos. Os marcos da vida. O primeiro postal que o meu Guica me ofereceu, escrito pela minha irmã, quando ele tinha 5 meses; a celebrar os meus 20 anos e a primeira (...)
Sex | 09.02.24

Paixões da pandemia que ficam

m-M
Jardinagem. Cresci com a casa cheia de plantas e um grande jardim, mas nunca fui eu a cuidadora. Quando compramos a nossa casa a antiga dona deixou 2 plantas que dizem trazer abundância. Sempre vi essa oferta como muito carinhosa.   Com a pandemia, acrescentei pequenas suculentas e tive ofertas de outras plantas. Hoje em dia tenho uma prateleira, na cozinha, cheia de vasos e vasinhos. E cuidar deles, semanalmente, é um momento de calma: parar, olhar, limpar, regar, trocar (...)
Seg | 05.02.24

Do poder da música na memória

m-M
Aquela música será sempre a tua. A que ouvia acreditando nos sentimentos que contávamos de madrugada. A música que fala de princípios, de descobertas e de o que se acha ser Amar. Tal como nós fomos, faz pelos menos 3 vidas, contando de cabeça.   De ti, passam-se meses de que nem me lembro. Já a música é sempre bonita e faz-me sorrir.