Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto... Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final. Parágrafo!

The roof, the roof, the roof is on fire!

Ora expliquem-me lá, que leizinha estranha do Universo, que ironia do Senhor Murphy é esta... que quando os dois colegas do departamento tiram férias, ao mesmo tempo, o raio da "Casa" resolve pegar fogo.

 

E pegar fogo géraú!

Ele é telefones que tocam, pessoal (com latas descomunais) a ligar-me para o meu nº pessoal, parceiros em pulgas quando andam, há semanas!, sem dizer nada; ele é contas sem plafond (e o meu trabalho fica por fazer porque não sou administradora e não tenho acesso ao pilim); ele é pessoas a ligar a pedir para corrigir material feito pela colega que já foi de fim-de-semana...

E campanhas de SMS, e e-mails, e anúncios para lançar, e documentos para inserir...

Tou aqui, oh, assim: (sozinha, até 2ª feira...)

 

Juntem a isto amanhã arrancar all by myself para o Porto, pela noite dentro... (já estou cansada, só de pensar)

 

Hoje estou sem inspiração para vos escrever... e fico mesmo lixada com isso!

 

#coisasboasà6ªfeira?

Não era minha intenção hoje vir cá desabafar... mas a vida acontece, não é?

Estou aqui, com aquele tremor interno da ansiedade, a olhar para as tarefas do trabalho, para os recados que tenho para cumprir na hora de almoço, a pensar ligar à T., mas sempre com um enorme medo de ser um inconveniente.

Estou aqui, com chatices laborais causadas por 3ºs, daquelas em que me apetece dar um dos meus famosos "raspanetes de gestora de equipas", mas o empata-f*das é só um dos maiorais da "cena" e o pessoal bufa, queixa-se, mas faz - eu incluída. A diferença é que eu procrastino prá cáraca!

 

Dou por mim, chegada a 6ª feira, chegada quase ao fim de maio, a uma semana de voltar ao Porto, sem perceber como aqui cheguei. Como assim já é quase junho?!

Tenho passado dias, semanas de confusão interna, qual reflexo das nuvens e da ventania lá fora. A diferença? Não me recrimino tanto por isso, não me culpabilizo, não me afogo ou afundo em mim, na negrura. Aceito, procuro a humanidade nestes dias. Começo a ver a "luz" de que todos temos dias destes. Todos temos que lidar com este tremor, qual moínha, qual zumbido, cá dentro.

Acabei de respirar fundo, de suspirar.

No cansaço, na confusão.

Mas disposta a organizar a cabeça, a relegar a ansiedade que quer tomar conta e avançar com o dia.

 

Esta 6ª feira é comum. Vulgar. "Especial" no inverno lá fora. Mas não a creio digna de história.

E, ao escrever, como que para me obrigar a focar, apercebi-me a #coisaboaà6ªfeira deste dia é que o meu eu de 15 anos, o que tinha ataques de ansiedade a cada grande prova que tinha que cumprir, havia de ficar parvo com o facto de que a ansiedade é passível de ser enfrentada, aceite e abraçada.

Moodboard #9

Eina! 6ª feira!

Esta, por um lado, chegou rápido, porque a semana foi das mais pequenas... Maaaas por outro, custou! Porque a ressaca das férias não quer passar.

 

Este fim-de-semana é daqueles... compras do mês por fazer, m-R com concerto, eu com planos furados...

Mas, também é "daqueles"! Daqui a minutinhos vou ter com a P. e a G. para um cafézinho de fim-de-dia, para pormos a conversa em dia e cochicharmos muito!

 

A banda sonora só podia ser esta:

 

E o espírito este:

E planos desse lado... há?

Bom fim-de-semana péssuau!

O mito da ressaca

Há quem, para aí, diga que isto de ter ressaca pós-férias é uma invenção moderna.

Psicossomática.

 

Euzinha só vos digo: tenho uma dor de cabeça, moínha, a querer despontar, desde ontem à noite.

Ontem, dia em que regressei ao trabalho, depois de 10 dias de férias.

Há lá maior indicador de ressaca, do que uma bela dor de cabeça?

 

m-M, desde 1985 a transformar mito em realidade!

Moodboard #FÉRIAS

Hoje, dia de aniversário do meu Avô-anjo (faria 87 anos, se ainda estivesse connosco...), hoje, que acabei de entrar de férias. Hoje, mesmo chateada com voltas da vida e atitudes pequeninas... hoje o foco é um e só um: férias.

 

 

Volto ao ritmo "normal" no dia 2 de maio... entretanto vou publicando umas coisitas até dizer ti jei a Lisboa, na 4ª feira

Bom fim-de-semana péssuaú!

É só a mim que me está a custar horrores?

Cada dia a menos na "contagem" para as férias, me custa mais estar focada no trabalho

Acho que é de ter o SPA e a piscina a chamar por mim. Acho que é de saber que vou para o Norte. Acho que é de ir passar 3 dias a um hotel daqueles assim "de trás da orelha", como nunca fui.

Isso e os meses de 2017 estarem a ser "a matar" e ainda andar a lidar com alterações e tentações a nível profissional...

(também não é a este nível... tenham calma, que nós AINDA não ganhamos o A€uriomilhões )

 

Digam-me que não é só a mim que custa horrores trabalhar, antes das férias...

Mas caraças! Um ano e um mês depois das últimas... já merecemos, não?

Fim-de-semana prolongado, eu vou-lhi usá!

Nada como ter um fim-de-semana prolongado, mesmo antes de termos metido férias. Nunca tinha feito isto e, no fundo, apercebo-me que é quase como fazer um estágio, à la jogador da bola.

 

Confesso (e isto não é nada meu hábito, mas os anti-histamínicos levam a melhor...), não desfiz a mala, desde que cheguei, há 3 dias. Simplesmente porque vai ser um caso de trocar as peças de roupa por ainda mais vestidos e calções e blusas e sair, porta fora , rumo a 3 dias numas férias em hotel 4*, como nunca tive (nada como, graças ao trabalho, encontrar uma super pechincha para ser ainda mais pelintra!).

 

E o Universo realmente junta-se para me presentear, numa tentativa de me levantar o espírito.

Chagaram estas duas encomendas (se não conseguirem perceber bem as fotos, cliquem para aumentar, o meu Iphosga-se está a dar as últimas e nota-se bem pela camara), que vão direitinhas comigo, passear - e sim, serei a rapariga das pernas "assassinadas" por picadas de melgas, mas oh Teresa, isso agora não interessa nada!

17637231_782119698607484_5419982083465682251_o.jpg

 (Saldos!!!)

17880256_785978491554938_7670868402134339636_o.jpg

 (Ofertasss!!!)

Do enquadramento

À minha volta grassam frases positivas, pessoas agradecidas, pessoas que encontraram uma nova força, motivação e frases chavão.

Por muitas, "amigas, conhecidas", fico feliz, sorrio, por finalmente os ver bem.

 

Em mim, cresce insatisfação.

Eu, a eterna instisfeita, que tem/cria expectativas tão altas, que as coisas acontecem e a frase interna é: "afinal é isto?".

Dou por mim a entrar no cíclo da insatisfação: a ficar frustradinha, irritadinha e fartinha, cá dentro. Tudo em inha porque supostamente, não tenho motivos para mais.

E neste meu ciclo, começo a levar as coisas a peito, a ver maldade e apontar de dedo. E penso: "eu devia era acomodar-me e jogar o jogo", mas não consigo. E pimbas! Vai-de começar a atirar a "rede ao peixe", a ver se algo melhora, mesmo tendo ganho medo a mudanças.

 

New age e frases chavão parecem-me ocas, desconfio de quem vive por elas (por muito que goste de quem vive por elas).

Realmente sou como me leram, há muitos anos:

És quem quer sempre mais e não o tem, e vais ter que te habituar e aceitar isso.

 

Ora muito bom dia!

O Sol brilha. Às 9 da manhã já se sente o seu quentinho, nas costas.

E meia-Lisboa está de férias.

 

E como é que eu sei?

Porque o Metro vem com 1/3 das pessoas.

E mesmo as que lá vêm dentro (euzinha incluída), vêm com olhos sonhadores, olhos de quem conta os dias para as férias. (T-11 dias).

 

E com esta (e menos amassos e empurrões no Metro) vos desejo um ótimo dia!

 

P.S: Passem aqui, há passatempo de Páscoa.

Trago muito dos últimos dias...

A viagem de trabalho correu bem.

Os dias foram cheios, mas deslizaram, passaram-se bem. Na dinãmica habitual de quem se "enfia", 9 a 12 horas, por dia, num evento.

O sol voltou, o calor voltou e, juntos, resultaram em 4 dos mais bonitos fins de dia/entardeceres que já vi.

 

Muito trabalho, dias de 10 horas.

Um hotel tão bom que vamos lá regressar, em lazer, em breve (muito breve!). Pequenos-almoços que aproveitei ao máximo e que fizeram o lugar do almoço TODOS os dias.

Muitas pessoas, muitos sorrisos, muita voz colocada. E o saber que auxiliei o meu local de trabalho, ainda mais do que imaginava, que me dessenrasquei sempre e que o mal-estar "adormeceu" nestes dias - nada como fugir à rotina, né?

E mais uma blogger/fã que me foi conhecer.

 

Eeeeeee...

Muitas, MUITAS melgas e bicharocos voadores, que gostam de calor!

Poucas horas de sono, o corpo cansado e uma crise alérgica causada pelas picadas.

 

Trago muito, muito destes últimos dias, mas perdoem-me... o que me salta à memória são as 24, VINTE E QUATRO picadas de melgas... às quais fiz alergia!

Descobri que sou um doce de menina e que as melgas têm uma preferência louca pelo lado direito do meu corpo - terei sido atacada por melgas de centro-direita? As Passos Coelhos e Portas da melgada?!

Tanto que estou a trabalhar de casa, acompanhada de anti-histamínicos e pomadinha calmante...

 

Agora, desculpem-me... vou só ali cosar a minha perna