Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto... Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final. Parágrafo!

Review | Óleo Reafirmante Cien (Summer Edition)

Durante as férias em Estarreja (voltem férias, estão perdoadas!), cruzei-me com o melhor Lidl que já vi!

Mau para a carteira, mas muito simpático para com os nossos gostos!

Ela foi uma escova elétrica nova, ela foi um cesto novo para a roupa... o m-R atirou-se a uma nova cerveja para experimentar e eu trouxe comigo o óleo reafirmante corporal da linha limitada de Verão 2017.

IMG_2205.JPG

(já viram que giro é o meu bikini? E assenta que é um mimo! Agora é tudo a rezar por bom tempo para daqui a duas semaninhas, que eu quero ir estrea-lo!)

 

É um óleo leve (não pesa na pele), que pode ser usado em pele seca ou húmida (eu recorro a esta 2ª opção, para hidratar a pele a fundo, deixo atuar e depois seco a pele com a toalha e acreditem, não engorduro a roupa). Tem um perfume muito fresco mas nada enjoativo ou que "agarra" à pele, a limão.

Já vou na 5ª utilização, e a pequena embalagem (150ml) vai agora a chegar a meio, ou seja, é mesmo uma boa edição limitada, pois o tamanho garante que a utilização é bem delimitada no tempo.

Noto a pele muito hidratada, mais suave e o perfume faz, sem dúvida lembrar os fins de dia de verão. Contudo, não posso dizer que note muitos resultados quanto à promessa de reafirmar a pele...

 

Pelo preço (€1.49), considero que também não se devem esperar milagres, ? Recomendo para quem tem pele seca e para quem não gosta de perfumes demasiado doces na pele - nesses pontos, este óleo é o "pré-verão" perfeito.

 

o bikini, ainda não foi "a banhos", mas estou a contar os dias - e sim, segura o penuzinho!

Das tardes "tradicionais" em família

Este fim-de-semana só sabia de uma coisa: que às 20h a camionete estaria a arrancar para o Porto, e eu estaria lá dentro...

 

Bem, isso quase nem aconteceu, comigo a correr que nem doida até Sete Rios...

Era quase meia-noite quando comecei a ver a cidade pela janela, locais onde passeava, locais onde estava com amigos... e o m-R à minha espera no terminal.

Eram quase duas da manhã quando nos deitamos para dormir... mas "isso agora, não interessa nada!".

 

De manhã, acordo para uma surpresa:

E que me dizes a irmos ver o SLB ao Bessa, amanhã?

 

Bem, toda eu sorri. Por dentro e por fora. Ir ao futebol Ir ao futebol, ver o meu SLB, na minha cidade Ir ao futebol com o meu m-R Ir ao futebol com o meu pai Levar o meu afilhado ao futebol, pela 1ª vez na vida dele

E assim foi. Chegamos duas horas antes, para o G. ver o que é a alegria do futebol: as bandeiras, os cachecóis, as famílias, os cânticos.

O jogo foi morno, atabalhoado (nada que eu não tivesse suspeitado, ao ver o Júlio César a aquecer...). O árbitro foi fraquinho. Mas o jogo (e o preço louco dos bilhetes!!!) valeu pela festa nas bancadas, por ver o meu G. primeiro surpreso, depois deslumbrado e depois parte de tudo, ao ponto de cantar sem perceber as letras e de chegar a casa rouco, mas com os olhos mais bonitos de felicidade, do mundo!

 

Eu? Eu voltei ao Bessa, 10 anos depois. Uma casa que terá para sempre um pedaço de mim.

Eu voltei a cumprir a tradição de partilhar uma tarde, "das antigas", em família, e quando me deite, já passava da uma da manhã, adormeci cansada, mas adormeci feliz.

 

P.S - e já agora... quem é que me viu na Têbê?!

Moodboard #11

Uma 6ª feira com sabor a dia corrido...

E ainda se segue uma viagem até ao Porto, matar saudades do m-R, da minha casa de "solteira", um fim-de-semana cheio...

Confesso, cá dentro, estou uma mistura entre abraçar quem me faz falta e continuar, lá por casa, a dançar, como quando ninguém me vê.

 

Banda sonora:

E vocês?

Quais são os planos? Vão ficar tão estoirados quanto eu?

The roof, the roof, the roof is on fire!

Ora expliquem-me lá, que leizinha estranha do Universo, que ironia do Senhor Murphy é esta... que quando os dois colegas do departamento tiram férias, ao mesmo tempo, o raio da "Casa" resolve pegar fogo.

 

E pegar fogo géraú!

Ele é telefones que tocam, pessoal (com latas descomunais) a ligar-me para o meu nº pessoal, parceiros em pulgas quando andam, há semanas!, sem dizer nada; ele é contas sem plafond (e o meu trabalho fica por fazer porque não sou administradora e não tenho acesso ao pilim); ele é pessoas a ligar a pedir para corrigir material feito pela colega que já foi de fim-de-semana...

E campanhas de SMS, e e-mails, e anúncios para lançar, e documentos para inserir...

Tou aqui, oh, assim: (sozinha, até 2ª feira...)

 

Juntem a isto amanhã arrancar all by myself para o Porto, pela noite dentro... (já estou cansada, só de pensar)

 

Hoje estou sem inspiração para vos escrever... e fico mesmo lixada com isso!

 

Passam por cá?

Agora que os "Poemas do outro sítio" estão a acabar - e nem eu me lembrava que tinha escrito tantos...

 

Lembrei-me de uma nova "rubrica"... a "Better than the original".

E o que seria esta novidade?

Ora, sendo que estou sozinha até 6ª (desta feita foi o m-R que foi para fora, em trabalho), ontem à noite, dei por mim a pensar, antes de adormecer (aquela hora super fértil em que temos ideias para todos os gostos!): então e aquelas covers de músicas que acabam por ficar melhores do que as originais?

E que, às vezes são tão boas, que o pessoal nem se lembra que existiam antes (basta dar uma passagem pelos comentários no Youtube...).

BTTO_banner_contosdameninamulher.JPG

(até criei uma imagem toda bonita...)

 

Até agora, já me lembrei de 4 situações - tendo em conta, claro, o meu gosto pessoal - e acho engraçado discuti-las por cá.

Maaaaaaaaaas o importante é perceber se também o acham e se passariam por cá?

 

A ideia é passar a publica-las à 5ª feira.

Agora vá, digam-me de vossa justiça!

Youzz | Experiência Becel

Então?

Já andam a espreitar a "Odisseia Becel Pro-activ" no Facebook e no Instagram?

 

Assumo, primeiro estranhei ter sido escolhida para uma campanha de um produto para controlo do colesterol, mas depois lembrei-me: se os meus níveis estão melhores e se ando a cortar no consumo de laticínios, porque não experimentar, como deve ser?

 

A verdade é que estou positivamente surpreendida, encontrei mais um substituto dos dairys e tudo em nome do: "o que está bom é para manter e melhorar"!

 

Lá está... isto são os 30's a instalarem-se em grande, certo?

Manicure da semana - cores de verão

Apesar de gostar do resultado e durabilidade (e preço, porque encontrei uma técnica de confiança e com muito jeitinho, perto de casa), a verdade é que não me consegui render às unhas de gelinho...

Para quem não sabe - e até se vá rir - fazer a manicure a mim mesma foi um exercício de fisioterapia ocupacional que comecei aos 9 anos - para exercitar a mobilidade e a lateralidade. E a minha fisioterapeuta, a S., fez um ótimo trabalho em tornar este exercício (e não se deixem enganar, homens, que ele é difícil para xuxu!) em algo divertido, que fazíamos as duas, enquanto conversávamos sobre a escola, ou os meus pais...

 

Assim, a verdade é que, o exercício se tornou em algo meu, que, por muito que "pinte fora das linhas" e me borrate toda (qual Picasso!), gosto de fazer, todas as semanas. E daí a R. só me fazer unhas de gelinho em casos muito especiais como idas à Têbê, casamentos e semanas intermináveis de trabalho fora, como as duas que vou ter já em junho...

 

Ultimamente, com este tempinho manhoso, tenho chegado ao dia da manicure (2ª ou 5ªs feiras) e fico quase 10 minutos a olhar para a minha coleção de vernizes... a verdade é que há marcas que não se dão nas minhas unhas (como os Kiko ou os Essence), depois há as marcas que aguentam bem (com os Andreia, os Inocos e os Golden Rose) e depois, há os Yves Rocher, que sem "métodos xpto", chegam a durar 7 dias - sim, SETE DIAS! - nas minhas unhas, sem lascar.

 

Qual não foi a minha alegria quando soube da nova coleção de Verão 2017, "Um verão chique e boémio" da Yves Rocher? É que, eu sei, que tenho quase 20 vernizes, mas ando cansadita das cores...

 

Pessoalmente estou de olho no Abricot Pastel e na reedição do Rose Azalée porque, lá está, essas duas cores fazem-me lembrar festivais de verão.

Entretanto, claro que a YR não perde oportunidade de me fazer suspirar... e fiquei de olho no eyeliner - lá vou eu falar com a Sogrinha, para encomendar...

YR-146218-Vertige Liner Feutre - ouvert 04. Bleu P

Meninas desse lado... quem é que já se rendeu ao gel(inho), na manicure?

E quem é oldschool, como eu, e tira uma horinha por semana para se embonecar?

 

Quais são os vossos tons favoritos?

 

Receita - Arroz trapalhão, sem carne

Em casa dos meus pais sempre existiu um prato daqueles bem simples e bem confort food e que, chegada a Lisboa descobri que era um dos favoritos do m-R, mas com outro nome...

O bem Português e póbri: arroz trapalhão aka arroz de restos.

 

Para quem não conhece, é um arroz, bem malandrinho, que se deve fazer com restos de outras refeições ou com o que tivermos no frigorífico, como forma de não desperdiçar comida... mas, eu ando mesmo muito virada para vegetais, só me apetecem vegetais (dou por mim a suspirar por cogumelos, mais especificamente...) e vai daí, olhei para o frigorífico e resolvi atirar-me a gaveta dos vegetais!

 

Ingredientes

  • 1/2 cebola grande
  • 1 cubo de gengibre fresco, picado
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher de sopa de massa de pimentão
  • sal, pimenta, vinho branco e limão q.b (para tempero)
  • 1/2 alho-francês (a parte branca), em cubos
  • 1/4 pimento vermelho
  • 4 cogumelos frescos, brancos - médios
  • 1/2 frasco de leguminosas ou 100 g de ervilhas
  • 6 "pernadas" de vagens/feijão verde, em cubos
  • 1 caneca de arroz (carolino dá um arroz malandrinho mais solto)

 

Preparação

Faz-se um refogado dos legumes entrando primeiro o alho francês e o pimento, por largarem mais sabor, seguidos dos cogumelos que vão largar água suficiente para cozer os vegetais sem ser preciso adicionar mais líquido, seguido das vagens.

Para o arroz costumo medir 1 caneca de água, para 3 e meia de água, para ficar com bastante "molhinho" - e só nos últimos 5 minutos de cozedura é que acrescento as ervilhas, para que estas não "passem" e fiquem moles demais...

 

Esta foi uma experiência nova, mas que já me estou a ver a repetir. O resultado é um arroz rico, cheio de ingredientes, em que não sentimos falta nenhuma da carne - e, para mim, seguiu a tradição: não deixei os legumes estragarem!

Conhecem este prato?

E que vos parece esta versão?

Do fim-de-semana?!

 

IMG_2195.JPG

Isto!

Depois do auxílio ao m-R, jogo com a J.B (e a G. e o seu novo "namorado"), Marquês todos juntos (que esteve bem mortiço, mas até encontrei lá um fã...), cachecol novo para a "coleção" e ceia em casa, com direito a champagne!

 

E ronha, e presentinhos para amigas e surpresas boas, de coração.

 

Hoje?

Sono, muito. E vontade zero de me mexer.

Mas, dado que é 2ª feira, posso, não posso?

Eu bem digo que não sou féxon...

Eu digo e repito e não me sinto féxon... maaaaaas a verdade é que, DOIS ANOS depois, regressei ao Instagram.

 

É a minha conta pessoal, mas resolvi associa-la ao blogue.

 

Não vos espera um Insta cheio de fotos maravilhosas, até porque o meu jeitinho é muito "comum", mas sempre vou partilhando lá umas coisinhas.

Querem-se juntar a mim? É só ir aqui, e carregar em "Seguir"