Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto... Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final. Parágrafo!

Das tardes "tradicionais" em família

Este fim-de-semana só sabia de uma coisa: que às 20h a camionete estaria a arrancar para o Porto, e eu estaria lá dentro...

 

Bem, isso quase nem aconteceu, comigo a correr que nem doida até Sete Rios...

Era quase meia-noite quando comecei a ver a cidade pela janela, locais onde passeava, locais onde estava com amigos... e o m-R à minha espera no terminal.

Eram quase duas da manhã quando nos deitamos para dormir... mas "isso agora, não interessa nada!".

 

De manhã, acordo para uma surpresa:

E que me dizes a irmos ver o SLB ao Bessa, amanhã?

 

Bem, toda eu sorri. Por dentro e por fora. Ir ao futebol Ir ao futebol, ver o meu SLB, na minha cidade Ir ao futebol com o meu m-R Ir ao futebol com o meu pai Levar o meu afilhado ao futebol, pela 1ª vez na vida dele

E assim foi. Chegamos duas horas antes, para o G. ver o que é a alegria do futebol: as bandeiras, os cachecóis, as famílias, os cânticos.

O jogo foi morno, atabalhoado (nada que eu não tivesse suspeitado, ao ver o Júlio César a aquecer...). O árbitro foi fraquinho. Mas o jogo (e o preço louco dos bilhetes!!!) valeu pela festa nas bancadas, por ver o meu G. primeiro surpreso, depois deslumbrado e depois parte de tudo, ao ponto de cantar sem perceber as letras e de chegar a casa rouco, mas com os olhos mais bonitos de felicidade, do mundo!

 

Eu? Eu voltei ao Bessa, 10 anos depois. Uma casa que terá para sempre um pedaço de mim.

Eu voltei a cumprir a tradição de partilhar uma tarde, "das antigas", em família, e quando me deite, já passava da uma da manhã, adormeci cansada, mas adormeci feliz.

 

P.S - e já agora... quem é que me viu na Têbê?!

Moodboard #11

Uma 6ª feira com sabor a dia corrido...

E ainda se segue uma viagem até ao Porto, matar saudades do m-R, da minha casa de "solteira", um fim-de-semana cheio...

Confesso, cá dentro, estou uma mistura entre abraçar quem me faz falta e continuar, lá por casa, a dançar, como quando ninguém me vê.

 

Banda sonora:

E vocês?

Quais são os planos? Vão ficar tão estoirados quanto eu?

The roof, the roof, the roof is on fire!

Ora expliquem-me lá, que leizinha estranha do Universo, que ironia do Senhor Murphy é esta... que quando os dois colegas do departamento tiram férias, ao mesmo tempo, o raio da "Casa" resolve pegar fogo.

 

E pegar fogo géraú!

Ele é telefones que tocam, pessoal (com latas descomunais) a ligar-me para o meu nº pessoal, parceiros em pulgas quando andam, há semanas!, sem dizer nada; ele é contas sem plafond (e o meu trabalho fica por fazer porque não sou administradora e não tenho acesso ao pilim); ele é pessoas a ligar a pedir para corrigir material feito pela colega que já foi de fim-de-semana...

E campanhas de SMS, e e-mails, e anúncios para lançar, e documentos para inserir...

Tou aqui, oh, assim: (sozinha, até 2ª feira...)

 

Juntem a isto amanhã arrancar all by myself para o Porto, pela noite dentro... (já estou cansada, só de pensar)

 

Hoje estou sem inspiração para vos escrever... e fico mesmo lixada com isso!

 

Passam por cá?

Agora que os "Poemas do outro sítio" estão a acabar - e nem eu me lembrava que tinha escrito tantos...

 

Lembrei-me de uma nova "rubrica"... a "Better than the original".

E o que seria esta novidade?

Ora, sendo que estou sozinha até 6ª (desta feita foi o m-R que foi para fora, em trabalho), ontem à noite, dei por mim a pensar, antes de adormecer (aquela hora super fértil em que temos ideias para todos os gostos!): então e aquelas covers de músicas que acabam por ficar melhores do que as originais?

E que, às vezes são tão boas, que o pessoal nem se lembra que existiam antes (basta dar uma passagem pelos comentários no Youtube...).

BTTO_banner_contosdameninamulher.JPG

(até criei uma imagem toda bonita...)

 

Até agora, já me lembrei de 4 situações - tendo em conta, claro, o meu gosto pessoal - e acho engraçado discuti-las por cá.

Maaaaaaaaaas o importante é perceber se também o acham e se passariam por cá?

 

A ideia é passar a publica-las à 5ª feira.

Agora vá, digam-me de vossa justiça!

Manicure da semana - cores de verão

Apesar de gostar do resultado e durabilidade (e preço, porque encontrei uma técnica de confiança e com muito jeitinho, perto de casa), a verdade é que não me consegui render às unhas de gelinho...

Para quem não sabe - e até se vá rir - fazer a manicure a mim mesma foi um exercício de fisioterapia ocupacional que comecei aos 9 anos - para exercitar a mobilidade e a lateralidade. E a minha fisioterapeuta, a S., fez um ótimo trabalho em tornar este exercício (e não se deixem enganar, homens, que ele é difícil para xuxu!) em algo divertido, que fazíamos as duas, enquanto conversávamos sobre a escola, ou os meus pais...

 

Assim, a verdade é que, o exercício se tornou em algo meu, que, por muito que "pinte fora das linhas" e me borrate toda (qual Picasso!), gosto de fazer, todas as semanas. E daí a R. só me fazer unhas de gelinho em casos muito especiais como idas à Têbê, casamentos e semanas intermináveis de trabalho fora, como as duas que vou ter já em junho...

 

Ultimamente, com este tempinho manhoso, tenho chegado ao dia da manicure (2ª ou 5ªs feiras) e fico quase 10 minutos a olhar para a minha coleção de vernizes... a verdade é que há marcas que não se dão nas minhas unhas (como os Kiko ou os Essence), depois há as marcas que aguentam bem (com os Andreia, os Inocos e os Golden Rose) e depois, há os Yves Rocher, que sem "métodos xpto", chegam a durar 7 dias - sim, SETE DIAS! - nas minhas unhas, sem lascar.

 

Qual não foi a minha alegria quando soube da nova coleção de Verão 2017, "Um verão chique e boémio" da Yves Rocher? É que, eu sei, que tenho quase 20 vernizes, mas ando cansadita das cores...

 

Pessoalmente estou de olho no Abricot Pastel e na reedição do Rose Azalée porque, lá está, essas duas cores fazem-me lembrar festivais de verão.

Entretanto, claro que a YR não perde oportunidade de me fazer suspirar... e fiquei de olho no eyeliner - lá vou eu falar com a Sogrinha, para encomendar...

YR-146218-Vertige Liner Feutre - ouvert 04. Bleu P

Meninas desse lado... quem é que já se rendeu ao gel(inho), na manicure?

E quem é oldschool, como eu, e tira uma horinha por semana para se embonecar?

 

Quais são os vossos tons favoritos?

 

Moodboard #10

Banda sonora:

 

 

(amigo de todas as horas...)

 

 

Vamos a ver se este tempinho de caca melhora, que eu quero ir festejar muito amanhã!

E deitar este dia estranho para trás das costas...

 

E vocês? També vão viver o fim-de-semana *triple F* em grande?

 

Bom fim-de-semana péssuaú!

#coisasboasà6ªfeira?

Não era minha intenção hoje vir cá desabafar... mas a vida acontece, não é?

Estou aqui, com aquele tremor interno da ansiedade, a olhar para as tarefas do trabalho, para os recados que tenho para cumprir na hora de almoço, a pensar ligar à T., mas sempre com um enorme medo de ser um inconveniente.

Estou aqui, com chatices laborais causadas por 3ºs, daquelas em que me apetece dar um dos meus famosos "raspanetes de gestora de equipas", mas o empata-f*das é só um dos maiorais da "cena" e o pessoal bufa, queixa-se, mas faz - eu incluída. A diferença é que eu procrastino prá cáraca!

 

Dou por mim, chegada a 6ª feira, chegada quase ao fim de maio, a uma semana de voltar ao Porto, sem perceber como aqui cheguei. Como assim já é quase junho?!

Tenho passado dias, semanas de confusão interna, qual reflexo das nuvens e da ventania lá fora. A diferença? Não me recrimino tanto por isso, não me culpabilizo, não me afogo ou afundo em mim, na negrura. Aceito, procuro a humanidade nestes dias. Começo a ver a "luz" de que todos temos dias destes. Todos temos que lidar com este tremor, qual moínha, qual zumbido, cá dentro.

Acabei de respirar fundo, de suspirar.

No cansaço, na confusão.

Mas disposta a organizar a cabeça, a relegar a ansiedade que quer tomar conta e avançar com o dia.

 

Esta 6ª feira é comum. Vulgar. "Especial" no inverno lá fora. Mas não a creio digna de história.

E, ao escrever, como que para me obrigar a focar, apercebi-me a #coisaboaà6ªfeira deste dia é que o meu eu de 15 anos, o que tinha ataques de ansiedade a cada grande prova que tinha que cumprir, havia de ficar parvo com o facto de que a ansiedade é passível de ser enfrentada, aceite e abraçada.

Poemas "do outro sítio" #11

Réstia de Luz - 09.04.2009

 

Quarto escuro,
Porta entreaberta.
Luz de presença.

Sucumbe aos pés dos teus monstros
Ilusão de confiança.
Dias, segundos,
O relógio não para.
Meses, horas,
Em que a mente cavalga.

Corcel agridoce,
Por lugares desconhecidos.
Pedaço falseado.

Desejo acordado
por mãos frias, mente usurpadora.
Invólucro com conteúdo,
Caminhas sentindo...

 

Um poema que representa a minha alma, a minha maneira de sentir e viver, a minha esperança que nunca morre. Por mais anos que passem, há uma essência que, quando se nota, não se deve negar...

E, aqui entre nós, este poema hoje, vai perfeito, "de mão dada" com o tempo que se faz lá fora.

Querem entregar presentinhos à equipa do SAPO?

Quantas vezes já não pensamos em mimar a equipa do SAPO blogues?

 

Pois é, acho que encontrei maneira de o fazermos... não é que, ao fim de quase 5 meses (eu consigo ser muito despistada, eu sei!) me apercebi que o estúdio onde tenho aulas com a Marina é literalmente do outro lado da rua da HQ da SAPO.

Faço os meus ohms e os meus down facing dogs com a Sede no meu horizonte. E olhem que é bem gira: cheia de luz, bem verdinha e com um ecrã para a nossa homepage, logo à entrada!

 

Por isso, já sabem, se quiserem que a equipa do SAPO blogues receba miminhos vossos, avisem-me.

Todas as terças-feiras passo por lá!

Re-educação alimentar: a minha experiência

Agora que se aproxima o 1º aniversário das grandes mudanças alimentares, e de hábitos... partilho aqui convosco "os resultados" e a "minha verdade" - coloco entre aspas exatamente para destacar o lado pessoal e variável do que vou partilhar; um bocadinho para que tenham acesso a um post pessoal, mais do que a um post de dicas, evangelização, milagres ou "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço...

 

Passos dados:

  • quase 3 meses sem fumar
  • 2 a 3 refeições vegetarianas, por semana
  • apenas consumo carnes brancas
  • aumento do consumo de peixe de 20%
  • aumento do consumo legumes de 70%
  • aumento do consumo de frutas de 30%
  • decréscimo do consumo de laticínios de 40%
  • consumo apenas leites vegetais
  • 40 minutos a 3 horas de exercício por semana
  • 1 a 2 litros de água consumidos, por dia, desde março

 

Resultados?

» Facilidade em respirar, menor ocorrência de câimbras. Menos apetite.

» Dificuldades em dormir, mais dores de cabeça/enxaquecas. Mal-estar quando consumo carnes vermelhas. Dificuldades de digestão sempre que consumo algo "fora do habitual" (socialmente) que demoram cerca de 2 dias a regularizar.

» Pouca perda de volume e nula perda de peso.

 

Ou seja, não tenho a "sorte", o metabolismo, a genética... de estar a conseguir resultados fabulosos... mas noto sim o corpo a queixar-se sempre que abuso.

Tenho dias sim em que desmoralizo por não me sentir a melhorar, o pneuzinho continua aqui, e tem dias em que parece maior. Já nem me peso, que é para não ter vontade de procurar uma ponte, para dela me atirar...

Maaaaaas depois penso que as minhas análises estão melhores! Nada de colesterol mau, valores relacionados com anemias e relacionados bem saudáveis. Este verão vou reforçar as análises para afastarmos o monstro dos problemas de tiroide (que esses sim, são genéticos) e que, com a flutuação de peso, me começam a preocupar...

 

Próximos passos?

  1. Aumentar o consumo de água para os 1.5 litros, por dia - constantes
  2. Diminuir o consumo de açucares (em casa)
  3. Voltar às caminhadas e corridas semanais
  4. Retomar os 30 minutos (2x por semana) de elíptica.

Não tenho uma super história de sucesso e um killer body para vos mostrar (muito pelo contrário, que os 30s não me perdoam, de todo!), mas não quero esquecer estes números - que um dos meus problemas é não celebrar as minhas pequenas metas, e quero mudar isso!