Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto... Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final. Parágrafo!

Receita - Arroz trapalhão, sem carne

Em casa dos meus pais sempre existiu um prato daqueles bem simples e bem confort food e que, chegada a Lisboa descobri que era um dos favoritos do m-R, mas com outro nome...

O bem Português e póbri: arroz trapalhão aka arroz de restos.

 

Para quem não conhece, é um arroz, bem malandrinho, que se deve fazer com restos de outras refeições ou com o que tivermos no frigorífico, como forma de não desperdiçar comida... mas, eu ando mesmo muito virada para vegetais, só me apetecem vegetais (dou por mim a suspirar por cogumelos, mais especificamente...) e vai daí, olhei para o frigorífico e resolvi atirar-me a gaveta dos vegetais!

 

Ingredientes

  • 1/2 cebola grande
  • 1 cubo de gengibre fresco, picado
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher de sopa de massa de pimentão
  • sal, pimenta, vinho branco e limão q.b (para tempero)
  • 1/2 alho-francês (a parte branca), em cubos
  • 1/4 pimento vermelho
  • 4 cogumelos frescos, brancos - médios
  • 1/2 frasco de leguminosas ou 100 g de ervilhas
  • 6 "pernadas" de vagens/feijão verde, em cubos
  • 1 caneca de arroz (carolino dá um arroz malandrinho mais solto)

 

Preparação

Faz-se um refogado dos legumes entrando primeiro o alho francês e o pimento, por largarem mais sabor, seguidos dos cogumelos que vão largar água suficiente para cozer os vegetais sem ser preciso adicionar mais líquido, seguido das vagens.

Para o arroz costumo medir 1 caneca de água, para 3 e meia de água, para ficar com bastante "molhinho" - e só nos últimos 5 minutos de cozedura é que acrescento as ervilhas, para que estas não "passem" e fiquem moles demais...

 

Esta foi uma experiência nova, mas que já me estou a ver a repetir. O resultado é um arroz rico, cheio de ingredientes, em que não sentimos falta nenhuma da carne - e, para mim, seguiu a tradição: não deixei os legumes estragarem!

Conhecem este prato?

E que vos parece esta versão?

  • 16 comentários

    Comentar post