Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto. Estes são os meus pontos sobre saúde, culinária e lifestyle. Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final!

Qui | 01.06.17

Better Than The Original #2

m-M
Et voilá! É 5ª feira, é dia de BTTO Hoje a cover é... "A little respect". O orginal é dos Erasure, lançada em 1988. Sendo eu uma rapariga toda 80's e nostálgica, quando o assunto é música... seria de esperar que adorasse esta música, né? Sincopada, com teclados, com 2ªs vozes, um clipe com senhores a dançar a abanar as anquinhas (sim, HD, também começo a notar um padrão! )... E depois... apareceu esta versão: (Si (...)
Ter | 30.05.17

Atão? Que tal?

m-M
Sem dizer nada, caladinha que nem um rato, andava a martelar a cabeça (a minha e a da Vanessa, que se ofereceu para me ajudar - 'cá beijinho moça! Não tenho palavras!), a pensar como refrescar o aspeto aqui do blogue.   Parecendo que não, já lá vão quase 5 anos de blogue, quase 3 de página do Faicibuqui. E todos nós sabemos que a internet pede organismos bem vivos e mutantes.   Claro que (...)
Seg | 29.05.17

Post rápido, mas de extrema utilidade pública:

m-M
Hoje o tempo é curto, mas não podia deixar de vir cá partilhar que a Psicogata é mesmo uma grande... influenciadora digital.   Sábado lá fui eu direitinha ao Lidl, no meio das compras do mês, buscar UMA (uminha só!), lata desta bebida: E sim, rapariga, tens toda a razão. É boa, cheira a e chama pelo verão. Foi a nossa companhia (a meias, que eu tinha medo de não gostar; e o m-R não costuma gostar de cervejas (...)
Sab | 27.05.17

Para que não (te) esqueças...

m-M
Isto de já não ter tanto medo de olhar para dentro, de olhar para mim; isto de já não me ver só como negra, mas ver-me mais como humana; faz com que me aperceba mais do que me rodeia, sem me sentir tão tomada pela mágoa.   Quer dizer, ainda doí, ainda treme cá dentro aquela sensação recorrente de "não sou relevante", de "vou ficar para trás". Mas oiço-me, sacudo as "gotas do meu capote", para não me pesarem tanto e para que eu consiga continuar a viver e a vivenciar; e (...)