Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto... Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final. Parágrafo!

Alvíssaras a quem cure uma enxaqueca...

Já é 2ª feira?

Já?

Olhem, então não quero. Não quero, num m'apetece

 

O fim-de-semana foi bom.

Cansativo, puxado, mas bom.

Ir A1 acima, ao som deste album, a conversar sobre o mundo que nos rodeia, e quem faz parte dele.

Chegar a Francillos e FINALMENTE abraçar a MC - eu sei, meu amor, que estive calada, cansada e irrequieta na minha "revolta", mas tu viste... não consegui melhor. Pizza carbonizada é uma delícia para o m-R, eu foi mais a sopinha e os snacks e maldizer a Adélia ranhosa e desrespeitosa, a 3.

Correr para a consulta. Trabalhar. Ir escavando para por as feridas à mostra. Mas sinto-me um bocadinho num cíclo.

Como já o disse por aqui, não culpo a terapeuta, eu é que não estou fácil. Pareço uma criança na idade dos porquês, mas com os "Como"s? Estamos a chegar ao "âmago" e torna-se evidente que o processo não vai ser fácil, que isto de mascarar e esconder, quase como uma 2ª natureza faz muitos estragos. E doi, e torna-me num cliché "mancante".

Lá continuaremos no próximo mês, condicionadas pelo meu calendário laboral... como desabafou o m-R, ontem: "notam-se diferenças, mas ela não está a conseguir fazer a diferença em coisas que devia"... incrível como o meu gaijo diz isto tendo em conta que sabe (de trás para a frente) como eu sou complicadinha...

 

Seguimos para os meus pais. Comidinha da mãe, mais uma compra para a A., atendimento terrível na Wells do Norteshopping... e TRÊS pares de sapatilhas comprados, por €30!  Juntem  a isto numa das lojas ainda me terem oferecido 5€ de desconto e 10% de desconto na próxima compra, se a fizer até ao fim de março! Até me apeteceu dar um beijinho à moça, que é cá das pelintras como eu!

Correr para casa, para vestir um dos vestidos dos saldos, que me faz ficar com um rabo enorme, e não esconde nada o pneu, mas que a cor é gira que doi! E sapatilhas, sim, minha gente 

E dar dois beijinhos à Shô Dona Mula, e um sorriso aberto e um abraço. És incrível moça! Obrigada! E ver os nossos gaijos todos contentes na cavaqueira também foi muito bom! BTW, m-R ficou preocupado que se quebrou o mistério para você, que agora lhe conhece os caracolinhos saltitantes 

Agora, já só me falta criar uma petição a requerer a vossa presença em Lisboa, com uma PAVLOVA, asap (é tudo a assinar gente, que diz que a Pavlova da Mula é pra lá de boua!)

 

Domingo?

Domingo foi passado num abraço quasi-eterno com o meu afilhado. Que saudades dele, do amor dele, de sentir e dar AMOR como só o nosso. Não é por ser meu, mas ele está cada mês mais lindo, mais rapaz, mais próximo do que previ e pressinto, no meu coração, para ele como Homem. E o saber que parte é de minha responsabilidade e consequência, é dos melhores sentimentos do mundo!

Comida da mãe, mas sair das suas asas o mais depressa possível. Entre frases diminuidoras e reparos "de sempre", senti-me, nas horas que passei lá, num loop de quem foge às "balas". O positivo deste mês, mantive a minha posição, opinião e escolhas, sem me alterar e sem deixar transparecer a tristeza e cansaço. Já é mais um passo, né?!

Descemos a A1, com a força do Sol, desertos de regressar à nossa casa. Com uma mensagem da minha Gabriiiielaaa. Com planos dos bons, para o próximo mês. 

Eu e o m-R, nas nossas conversas edificantes de quem já conhece a A1 de olhos fechados e aproveita estes momentos para conversar. Falamos de nós. De onde e quando e como começamos. De tudo o que nos mantém juntos, do que se evoluí quando ser quer, quando se consegue e quando se ama a pessoa que está connosco.

 

Chegar a Lisboa e ter o jantarinho feito, com carinho, pela Sogrinha. Ter mais uma coisa que a casa precisava, tratada. Beber Lambrusco, mimar o Snape, ver o meu SLB ganhar  ainda lavar uma máquina de roupa e tratar das marmitas e do pequeno-almoço... e adormecer abraçados a planear um hipotético, mas mais real, regresso a Londres 

Uma noite de sonhos estranhos e Snape mimalho que quis dormir em cima da minha cabeça... e acordar com uma enxaqueca - que saudades! NOT! 

Depois de um fim-de-semana de loucos, de altos muito altos, baixos cansativos e corpo moído de 7 horas na A1... dou alvíssaras a quem me curar a enxaqueca num passe de mágica.

A gerência agradece 

Mood board

Mais daqui a pouco arranco para o Porto, para a visita/sessão mensal.

Este mês incluí noitada com MC, jantarada com a A. e Mula Maria... e quiçá Saldos para o m-R, que ele só se entende com o calçado lá em cima.

Estas 3 semanas não foram fáceis, por muito que não tenha tocado no assunto aqui. Foram semanas muito intensas, a nível interno, muito olhar para dentro, muito "ter que pensar", muitos TPCs para a sessão mensal...

Hoje, sinto-me/vejo-me assim, nos meus 5 minutos de daydreaming:

 

A hot mess, I know.

Hoje sinto-me, como bem dizia antes, uma montanha-russa...

 

Bom fim-de-semana  

 

 

Devagarinho, chega-se "lá"(?)

Hoje é 6ª feira, "fim" de uma das semanas úteis mais difíceis dos últimos meses para mim.

Uma situação profissional que seria um "ai que giro", um "isso agora não interessada nada, que ainda falta muito tempo", um "tens uma equipa para te ajudar a fazer isso", para as outras pessoas, tem-me, desde 4ª feira, em ansiedade tremenda. Numa vontade de querer berrar "com alguém", como se deitar as culpas para cima do outro resolvesse alguma coisa e me fosse deixar mais leve, a mim.

O não dormir bem, não tem ajudado. Se bem que hoje sei que sonhei que estava a ver o mar, o que já é extremamente positivo!

 

Hoje, subo a A1.

Vou a casa, para a única consulta de fevereiro. Para abraçar a minha MC, que estamos as duas a precisar. Para ver a "ervilhinha da A." e Shô Dona Mula. Para ver o meu afilhado. Para comprar sapatilhas. Para ver os meus pais.

Hoje sinto que estou a conseguir focar-me no que partilhei aqui convosco.

A verdade é que, aos 31 anos, percebo que nunca me soube ver a mim. Ainda não sei. Um dos TPCs deste mês para a terapia foi avaliar a minha auto-estima, e não é que ela seja nula, que não é!, mas encontra-la com forças e fraquezas não me é fácil. Porque isso implica encontrar-me, olhar para mim.

Percebo agora que, desde a faculdade que fui vestindo por fora (e quiçá, por dentro) o que sempre achei que queriam que eu fosse. Encenei o papel dos grupos em que me ia inserindo. Acima de tudo, fui sempre ouvindo e seguindo a voz, a vontade, o "certo", o "bonito", aos olhos da minha mãe.

Como se vestir o que ela dizia me fosse tornar mais perfeita. Mais "amável" (passível de ser amada). Mais bonita, mais "normal". E isso apagasse o peso de culpa que sempre senti (sinto?) nos ombros. Por ser deficiente, por ter obrigado a minha família a abdicar, a pagar, a não ter coisas/momentos/descansos em prol da minha "independência", inserção, "normalidade".

 

Hoje subo a A1 com peças que fui comprando sozinha, verdadeiramente sozinha, nos saldos, nas últimas 3 estações. Eu, que não ia às compras sozinha para não correr o risco de comprar a "peça errada" de que a minha mãe, amig@, namorado, etc. pudessem não gostar (de mim?). Que levasse a comentários negativos ou a gozo, mesmo.

Hoje, consegui pensar "vou subir a A1, vestida de mim", e quando a minha mãe me vir amanhã, seja o que Deus quiser. Hoje, cheguei mais perto desta imagem com que tenho sonhado.

Não sei se fico linda, se não me faz mais baixa e mais gorda, que eu não tenho espelho de corpo inteiro e não gosto de olhar ao espelho. Mas sinto-me bem. Leve. Pódérósah (mesmo acabando de perceber que tenho um "foguete" nos collants...). Ainda não tropecei com as sapatilhas novas! In fact, deixei de ter estas meninas fechadas na caixa, novas e puras, "à espera", sabia eu lá de quê?

IMG_1806.JPG

Já o disse e re-disse esta semana, a quem me rodeia. Estou cansada. Não me apetece minimamente ir à terapia - e a culpa não é da terapeuta, que ela tem puxado por mim pra xuxu!

Mas se é para ir, tenho que aprender a ir como "eu".

 

Para muitos, este é um post sobre uma gaija que está contente porque vestiu uma saia e umas sapatilhas.

Para mim é o dia em que me perdi em pensamentos, a caminho do trabalho, e me apercebi do símbolos internos que uma saia e umas sapatilhas podem ser.

Receita - Panquecas de batata no forno

m-R tomou como desafio de Ballentines recriar a gastronomia suíça, com o que tinha lá em casa.

 

E eu lembrei-o de umas panquecas de batata e legumes que lá comemos. Simples, baratas, que não implicam fritos, mas mais demoraditas...

 

Ingredientes para 6 panquecas médias/grandes - e sim, ainda andamos a fazer refeições com as restantes:

  • 3 batatas médias
  • 1 cebola média
  • 1 alho francês, não muito grosso
  • 2 ovos
  • sal, pimenta e alho picado q.b

 

Pessoalmente, gosto das panquecas fininhas e com "bocadinhos" que fiquem mais crocantes depois de chegarem do forno, mas há quem atire tudo para o liquidificador... cá em casa, esmagamos à mão, que somos muito "rústicos" - como diria um antigo patrão meu 

Então: cozem-se as batatas (cerca de 20 minutos) e se gostarem da cebola macia, cozam-na 5 minutos também. Refoguem o alho francês, às rodelas, em azeite. Cortem as batatas e a cebola em cubos, para ser mais fácil esmagar e juntem-lhe o alho francês salteado. Após a "primeira esmagadela" ter esfriado um pouco, juntem os 2 ovos, batidos e o alho picadinho. Agora que a consistência é mais de pasta, batam com colher. Retifiquem os temperos.

Com uma colher de sopa sirvam panquecas, deixando espaço entre elas, num pirex untado com azeite.

Vai ao forno por mais 20 minutos e depois... é só degustar - e matar saudades!

 (imagem ilustrativa. Mas vocês acham que em pleno jantar de Ballentines eu ia estar a tirar fotografias? )

Eu e os sonhos, os sonhos e eu...

Voltei às noites dormidas, mas mal descansadas.

O medicamento "bom" para descansar acabou, é caro e eu ainda tenho duas embalagens do medicamento "ranhoso" para tomar.

Aaaah epilepsia, como és glamourosa. NOT!

In fact só me costumo lembrar que tenho epilepsia quando... tenho crises.

E nos últimos 5, 6 (?) anos em que deixei de dormir minimamente bem.

 

Resultado: enquanto tomei o medicamento "bom", consegui descansar, mas deixei de ter grandes sonhos.

Eu, a gaija que se costuma lembrar dos sonhos, das pessoas, do que está a sentir.

Entretanto, medicamento "ranhoso" de volta, sonhos parbos, de volta.

Tenho adormecido facilmente, tenho feito sestas. O m-R já me provou, em dias diferentes, que o meu corpo tem reagido ao sono qual uma "pedra": ele fala para mim, ele levanta-se, ele só não dança sapateado porque isso não fica bem a um metaleiro... e eu nada! Diz até (má ´lingua! calúnia!!!!) que eu ressono! 

 

Nas últimas duas semanas um tema tem sido recorrente:

Dou por mim a sonhar com mesas de jantar.

  • Uma mesa de um jantar que nós oferecemos em casa, linda, muito bem posta, 4 lugares. Tudo nos conformes. Eu ansiosa por mostrar a sala, a mesa, aos convidados - que não sei quem são... - e a mesa? Vazia de comida e mal iluminada.
  • Um jantar banquete, ao qual chego atrasada, com presença do Herman José à porta (), mas que quando eu chego, já só tem restos nas mesas. Tudo do bom e do melhor, num sítio chique, mas já só há restos...

E agora perguntam vocês? "E se largasses as drógas m-M?"

E respondo-vos eu: alguém sabe o que sonhar com mesas de jantar rapinadas ou não tão prontas assim, significa?

Garanto que ninguém anda a passar fome lá em casa! 

Lá venho eu ser má língua!

Fui só eu que achei que a homenagem póstuma da Adele ao meu Jorginho Miguel foi fraca, fraquinha?

 

A família fez um monte de exigências para permitir que a homenagem póstuma fosse permitida (que bela redundância!), uma delas ser Adele (apenas!) a cantar. Que ela era o sonho, a "meta"! Adele escolheu Fastlove, que eu adoro, e por motivos muito válidos.

 

Mas caraças que, ou eu sou muito esquisita, ou a Adele está a ficar batida, não fez nada demais e aquele "percalço" com direito a asneiras e muita "emoção" foi, pura e simplesmente, um erro que ela mascarou de emotividade, no momento?

"Ai desculpem-me, que vocês não mereciam isto e ai que estou em direto!" e asneiras e bip bip bip em direto e depois ainda há vídeos "limpam" a única asneira que um verso da canção tinha (bullshit por useless, não sei se ria se chore)? A SÉRIO? Não me lixem?! Falso moralismo FTW!

Tenho para mim que muitos de nós, fãs, sentimos mais e emocionamo-nos mais em casa a cantar com as nossas escovas, do que a "musa" Adele...

Desculpa-me tu a mim, meu Jorginho Miguel, mas eu sim, acho que merecias mais.

 

Deixo-vos aqui os momentos, com censura e completo, depois de "recomposta":

 

 

O jantar de Ballentines visto pelos 2 lados

m-M:

Sai do trabalho, vai para o yoga (YUPI! Cheguei às 4 aulas, estou inteira, noto piquenas melhorias e é para continuar). m-M perde-se no metro, roi-se de inbeija do pessoal todo a caminho da Luz, e chega a 1 minuto do início da aula. m-M no caminho para a aula, lembra-se que não pensou numa sobremesa para depois do jantar  m-M faz a aula a pensar no jantar. m-M trabalha tanto a força de pernas que, de repente já nem se lembra que é dia de Ballentines  m-M está a 2 minutos de casa quando o SLB marca () e a rua estremece num grito de GOOOOOOLO imenso! m-M chega a casa, corre para ainda esgueirar um último miminho para o m-R para dentro do presente DIY deste ano. m-M é "impedida de entrar na cozinha, onde está o seu presente de Ballentines.

 

m-R:

Corre para casa, ainda passa no supermercado da nossa rua a ultimar detalhes para o jantar. m-R cozinha uma salada fria de batata, cebola e sementes, umas panquecas de batata, cebola e alho francês no forno (e as receitas, querem? ), grelha as salsichas suiças que trouxemos do Aldi. m-R põe uma mesa toda romântica, com pratos vermelhos, os melhores cálices e velinhas pela cozinha toda. m-R gela champagne. m-R abre a porta da cozinha com um tcharan!

m-R "leva" o jantar todo com uma m-M que pergunta, a cada 10 minutos "e como estará o Benfica?" (que isto de morar a distância audível da Luz dá cabo dos nervos a um benfiquista!) e não se exauspera e sorri. Isto sim, é Amor! 

 

Por minutos, na nossa própria casa, voltamos os dois à Suiça, às nossas únicas férias fora, em quase 5 anos de namoro.

Porque a nossa casa é um mundo, o nosso e o do nosso Amor.

Poemas do "outro sítio" #1

Tal como falei aqui, e apoiada pelas vossas palavras, hoje trago o 1º poema nesta saga de recuperar as palavras bonitas que também já escrevi.

 

Trago este em primeiro lugar, não porque tenha sido o 1º a ser escrito (esse, se a memória não me negana, foi em inglês), nem por ser o de que mais gosto (esse ainda hoje me lembro dele!). Foi o 1º, de alguns que moram na antiga morade, que me apeteceu partilhar convosco.

 

Palavras simples, sem pretenção, mas de que gosto mais, agora que olho para elas, com uns olhos mais velhos.

Espero que não vos desiluda, que consigam gostar um bocadinho.

 

17.03.2009 - Sem título

 

Não te nomeio,
Porque não sei, na totalidade, o que és...
Mas talvez comece a vislumbrar.

Não te toco,
com medo que quebres.
[Não me quero cortar, não quero perder o teu brilho]

Vozes chamam um pouco de todo o lado
Ouço todas,
Disseco ao infinito,
Amo algumas.

Divido-me entre a espera e o salto,
Um pé em cada pedra
A seu tempo.

Unboxing - Phillippe by Almada

Nada como começar o Ballentines, logo de manhã, receber tantos miminhos do Phillippe by Almada 💗 - não, não tenho um admirador secreto! tenho uma nova parceria de experimentação, desta nova marca de cosmética portuguesa.

Cosméticos que primam pela utilização de leite de burra em pó, produto que resulta de diversos estudos e investigações realizadas em estreita colaboração com universidades e a empresa produtora.

O resultado desses protocolos permitiram atingir concentrações elevadas dos constituintes do leite, o que se traduz numa melhor performance dos produtos finais, quando aplicados na pele.

Ao leite de burra foram adicionadas outros ingredientes, cuidadosamente selecionados e validados, pelos melhores meios que a tecnologia pode oferecer e com o cuidado extremo dos melhores técnicos, para produzir produtos finais de excelência. Um deles, o aroma, foi selecionado em colaboração com o único português reconhecido pela Academia dos Perfumistas franceses, que ajudou na obtenção de um produto final não só de extrema qualidade, como aromaticamente muito evoluído.

16729330_754472671372187_5842991373729651866_n.jpg

Recebi um sabonete, um leite corporal, um creme de rosto e um creme de mãos... logo, este mês vai ser de experimentação, a ver se em março tenho surpresas para vocês 

Aaaai cheiram tãaaaao bem! Tenho o escritório mais cheiroso do mundo! 😄

Estou mortinha por começar a testar esta marca! Conhecem?

Aaaah hoje é que é MESMO dia dos Namorados!

Como nós fizemos a "festa toda" no fim-de-semana... hoje o dia resume-se a:

Ir ao yoga, que eu não ando a pagar aulas, para depois faltar!

Um jantar caseirinho, disto:

Com isto:

Series no sofá. Snape enroscado nos dois. 

E está muito bom, que amanhã é dia de trabalho!