Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Contos da menina-Mulher

Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto... Aqui toda eu sou vírgulas, reticências e, no extremo, pontos de exclamação ou mesmo um ponto final. Parágrafo!

Já percebi:

Lá está. Eu nasci para ser do contra.

Eu não sou moça de Saldos. Saldos, só os online e é para sonhar.

 

Eu sou moça de pechinchas. Das últimas peças das lojas, já quase esquecidas.

Ontem à noite fui comprar um body-cinta para me sentir melhor a tentar esperimentar vestidões, quando os vir... e acabei por voltar para casa com 1 blusa de verão, duas blusas e um vestido de meia estação. Tudo por €24 - já contando com o body e uns calções modeladores.

 

A parte melhor?

Tudo peças que são a minha cara. Que costumava ver na rua e suspirar por elas. Agora são minhas!

[E pronto, estas foram as minhas prendas de aniversário de mim para mim]

 

Produtos acabados - Agosto

No meio de toda esta confusão, publiquei no Faicibuqui os produtos acabados este mês e não dei os meus bitaites... shame on me.

 

Note-se que estas opiniões são da minha utilização e baseadas em preferências pessoais e em como o meu corpo/ pele/ cabelo se deu.

produtos_agosto_contosmeninamulher.jpg

Condicionador para cabelos pintados Yves Rocher: Já sou utilizadora assídua deste condicionador, há anos. Esta embalagem foi oferta da Beauty Kode, minha parceira de beleza Yves Rocher e Oriflame. Gosto do cheirinho, gosto que não me pareça tão artificial como outras marcas, porque cheira a plantinhas. Mas gostava que fosse mais cremoso. E, aqui entre nós, só faz boost ao brilho do cabelo, não prolonga a duração da cor do cabelo. Nota pessoal 6.5/10

 

Leite Corporal de Rosas Frescas Yves Rocher: Este leite corporal foi-me oferecido no aniversário passado por uma amiga de infância. Não se preocupem que não tive aberto quase um ano! Guardei-o até acabar todos os outros hidratantes corporais. Porquê? Sinceramente porque mal o cheirei percebi que não ia gostar. É um cheiro demasiado floral para mim: o perfume de rosas molhadas num jardim. Para além disso, a minha pele é demasiado seca para ficar hidratada com um leite de corpo. Eu cá é mais cremes ou manteigas corporais. Ou seja, a hidratação foi mínima e desiludiu-me ao ponto de descurar a minha rotina de 4 utilizações semanais - numa semana boa hidratava a pele 2 vezes. Outro ponto negativo é a embalagem: demasiado fina e alta e com tantos rebordos que o leite fica "preso" - sei que dentro da embalagem tenho creme para mais uma utilização, mas não consigo tirar aquilo nem por nada. Nota: 4.5/10

 

Deo Nívea Pure & Sensitive: comprei este deo literalmente para experimentar. Como faço reações alérgicas à minha coisinha, aproveitei uma promoção de 50% no Pingo Doce quando li "sem alcoól, sme parabenos, sem perfume". Na ideia de, "se não me der com isto, recambio para o m-R, porque não cheira a gaija". Não querendo fazer (muito) mais publicidade, o meu deo de eleição, que até com perfume não me faz alergia é o Sensitive (e o Minerals) da Cien. Este? Foi uma ótima surpresa. Cumpriu tudo o que prometeu, menos as 48h de secura, mas com estas ondas de calor era um bocadinho impossível, não? Nota: 8/10

 

Shampoo sem sal Skala Aloe Vera: comprei este shampoo específicamente para o CC. A Skala é a marca sem sal mais acessível - porque também está disponíovel no Pingo Doce, e é mais barata do que os shampoos sem sal da MyLabel. Comprei este exatamente por ser para cabelos ondulados. A verdade é que nas 1ªs utilizações sentimos a diferença de usar um shampoo sem sal: cabelo mais "fofo", menos seco. Agora, vou ser sincera, o m-R roubou-me o shampoo para os seus caracolinhos perfeitos. Eu? Usei-o umas 6 vezes... mas ele diz que gostou muito! LOL

 

Máscara Catchy Eyes Da Gosh: comprei esta máscara na Wells, como parte de um pack em saldos, já há um ano e meio. Demorei um ano a abri-lo. Durou-me 6 meses até começar a ficar vazio e seco. Prometia volume, pestanas desenhadas e densidade. Em mim, resultou em densidade e alongamento. Não é má, mas, para mim, não vale o preço total no mercado, €6. Eu comprei-o por €2.5 e assim, achei aceitável. 5.5/10

 

E Vocês?

Conhecem estes produtos?

Já usaram algum?

Habemus... casa!

Pois é!

 

Ainda mal caibo em mim e toda eu tremo de alegria, ansiedade, preocupações e excitação!

Desde ontem à tarde, somos oficialmente donos/proprietários de uma casa!

Foi tudo muito rápido!

Há cerca de um mês, fomos visitar esta casa a fazer um frete ao Sogrinho.

Bem localizada, ainda melhores acessos do que a casa alugada onde estamos, T3 como queríamos... muito dentro do orçamento e tudo tratado diretamente com os donos-vendedores da casa. A dona, ontem, abraçou-me com a felicidade de quem abraça uma sobrinha, cheia de orgulho.

Mal entrei na casa senti o clique!

Consegui ver o Snape a brincar na entrada. Vi-me na sala, vi-me na cozinha a preparar refeições...

 

Entretanto... foi um tirinho.

Logicamente esta decisão levantou mais problemas com o Sogrinho querido filho da p***. Ele fiador, tem andado com exigências loucas. Dementes. E momentos de tentar passar o pé ao próprio filho.

Mal sabe ele que nós, na nossa "inocência" estamos a tratar de oficializar o ajuntamento de trapos.

Próximo passo: União de facto, no papel.

 

Por isso, deste lado fala-vos uma m-M que mal dormiu esta noite.

Uma m-M que 2h depois de ter assinado a escritura estava sentada no chão da sua nova casa (vazia), namorava a casa e suspira sempre que pensa nela.

Reúne tudo o que necessitamos, muito do que queríamos, e um extra: vista para o estádio da Luz!

O próximo mês será passado nas mudanças, nas arrumações, nas contas e recontas para comprar os bens essenciais que não temos (porque os que tínhamos pertencem à casa alugada).

 

Deste lado fala-vos uma m-M que realizou um sonho de vida - e que tem momentos que ainda nem acredita que o conseguiu.

Recebido: Novex Queratina Brasileira Leave In Spray

Ontem, para celebrar o 2º aniversário da página de Faicibuqui aqui do cantinho, recebi o meu primeiro produto para teste enquanto Embaixadora da Embelleze Portugal.

embelleze_contosmeninamulher.jpg

 

Fantástico timming, que o leave-in que uso para o CC, está a acabar.

 

Estas são as vantagens que a Embelleze listou quando apresentou este novo produto:

o melhor da proteção térmica com a eficiência de múltiplos benefícios, num produto único e sofisticado. Com a melhor tecnologia especializada, o Leave In Spray é ideal paracontrolo do frizz, reparação do cabelo danificado pela prancha e pelo secador mas também para a proteção da sua coloração.

Tal qual uma criança, ontem, após ter feito humectação com óleo de amêndoas doces - para os meus caracolinhos se sentirem bem tratados e mimados, fui logo experimentar.

Como 1ª impressão posso dizer que o meu cabelo ficou super sedoso, brilhante e que o cheirinho é do melhor. Bom. Fresquinho! [Até o m-R reparou e elogiou! Só para verem como o leave-in faz logo diferença!]

 

Mal tenha uma opinião mais formada venho logo partilhar convosco!

Da depressão - A Vida num Degrau (livro):

Ontem recebi em casa o livro "A Vida num Degrau" que ganhei num passatempo promovido pela página Essenciais por Marta V. e pela editora Pactor.

Quando resolvi participar neste passatempo a finalidade não foi só ganhar mais um livro para a minha coleção. Por muito que eu adore livros com testemunhos reais. A finalidade foi aceitar ler sobre uma doença que faz parte da minha vida, há mais de 20 anos.

Realmente é como viver num degrau. Sempre divididos entre dar um passo para cima, ou sentirmo-nos, de novo, a descer as "escadas interiores", até à nossa "cave".

vidanumdegrau_contosmeninamulher.JPG

A depressão é um tabu. É mal compreendida. É minimizada e exagerada, ao mesmo tempo.

Eu tenho depressão crónica.

 

Tive a minha 1ª depressão aos 9 anos, resultado de uma doença que me afeta (ainda hoje) o sistema imunitário. Do alto da minha ignorância infantil e da falta de noção dos meus pais (por muita vontade que eles tivessem de me ajudar), achei que o melhor a fazer, o mais "fixe", era enganar os psicólogos a que me levavam. Entrava na sala, sabia-me a ser avaliada, dizia o que eles esperavam ouvir, portava-me muito bem e no final, lá vinham eles, de sorriso nos lábios, minimizar a situação e dizer à minha mãe "que isto passava".

Tive esgotamentos nervosos aos 15 e aos 16 anos. Por exigir demais de mim. Sabia que só eu mesma tinha que puxar por mim, porque mais ninguém ia puxar. Sabia que tinha que ser a melhor aluna, porque ninguém espera que uma aluna com PC, no ensino regular, seja a melhor aluna. Suportei bullying e professores que me humilhavam e discriminavam, sempre sendo a melhor. Mesmo que isso significasse não dormir, chorar todos os dias e só ter os misfits da escola como amigos. E o mesmo se aplicava ao meu único hobby: a natação. Ser a melhor, nadar mais, chegar mais cedo, ficar mais 10 minutos, cada semana mais piscinas nadadas. O engraçado aqui foi que, tendo 4 propostas para competir, fugi sempre de ser uma nadadora "profissional". Coloquei sempre o sonho dos meus pais - e a minha expectativa pessoal - de ser a 1ª licenciada da família, em primeiro lugar.

 

Durante os anos de jovem adulta, incorri em vários hábitos um pouco destrutivos, para não me deixar cair na depressão. Não comer, não dormir, falar sozinha. Ver toda e qualquer rejeição como um ataque pessoal. Cuidar de tudo e de todos para me sentir útil. E é o que ainda faço.

Claro que resvalei para o lugar mais negro da minha vida quando a faculdade acabou. Demorei a conseguir emprego. Acabei a pagar para ser "voluntária" e ter qualquer coisa para fazer. Tudo isto enquanto, aí sim, os meus pais se tornaram loucamente exigentes - maus hábitos que eu alimentei, para me sentir amada... - e vivia para os servir (sim, a palavra é forte, mas é mesmo essa). Nunca sendo boa profissional o suficiente porque lhes tinha "custado dinheiro" e não estava a ter utlidade profissional.

Aos 23 caí na minha 2ª depressão profunda. cliché dos clichés, resultado do meu 1º desgosto amoroso "sério". Sim, a minha auto-estima era (e é) tão fabulosa(mente baixa) que só aos 23 me permiti namorar (depois de ter arrumado os estudos, claro) e fui na cantiga mais antiga do livro: o falso Principe Encantado. Aí sim, caí numa depressão que eu própria me permiti reconhecer. "Perdi" quase um ano da minha vida, procurei ajuda psicológica sem tentar enganar niguém, mas não resultou. Fui "salva" pela minha melhor amiga, a pessoa que "ganhei" no meio de toda a confusão. Tudo enquanto fui sendo atacada pela minha própria mãe, por ter saído de debaixo das asas dela e já não ser "a filha perfeita".

 

Desde 2010 que, vejo agora,  passei a viver num misto de ansiedade, pânico, baixa auto-estima, luta pelas aparências. luta profissional e medo, medo de tudo, ao ponto de não saber aproveitar a minha vida.

Em finais de 2011 voltei a ser deixada, ponto final de um namoro violento e abusivo.

*(olá! estás bomzinho? Eu sei que volta e meia vens cá ler, ou pedes a "alguém" que te leia o que se passa aqui. Nope, não vou deixar de dizer a quem queira ouvir que és um psicopata violento e perigoso, por muito que tenhas comprado a máscara nova de pai de família)*

Nessa época abri as portas à terapia, psicoterapia, pura e dura. Conheci a A. "Escondi" de quem me rodeava todo o trabalho porque passei: o choro, o pânico, o necessitar de companhia de amigos para conseguir adormecer certas noites, as idas à polícia. Preocupei-me em desabar em cima da A. e só da A. E que os outros só vissem os resultados.

 

Os resultados foram bons, fortes, consistentes. Levaram-me até ao m-R. Levaram-me até ao Mestrado. Levaram-me a saber lidar com as inconstâncias profissionais da minha área e a sobreviver aos desempregos.

Mas, lá está, a minha depressão é crónica. Consegui viver com os ensinamentos da A. por mais um ano. Desde 2013 que entrei em espiral. E, neste momento vivo assim.

Não escrevo esta frase que para uns é assustador, e para outros é um pedido de atenção, por escrever. Escrevo para me aperceber. Escrevo para me aceitar.

 

Ontem este livro, que secretamente pedi, quando me inscrevi no passatempo, chegou lá a casa.

Esta é a foto que lhe tirei mal o recebi.

Na verdade, interessa-me muito lê-lo. Quero ouvir a voz de quem vive nas mãos destes sentimentos e luta para sair.

Eu? Estou a fazer a minha parte.

 

4 anos depois, voltei a falar com a A. Atirei o barro à parede. Pedi-lhe ajuda. Ela que é e será a "minha terapeuta". Perdi a vergonha e pedi-lhe ajuda. Sim, ela está em Gaia e eu aqui. Mas não desistimos uma da outra. Voltando ao bom velho tempo das relações à distância... temos consultas com 300km de permeio. Não sabemos no que vai dar. Mas sabemos que estamos a tentar - sim, porque também é novidade para ela.

4 anos depois. Já na década dos 30, aprendi a reconhecer que a minha essência é depressiva. Que não são só as circunstâncias que me pesam. Aos 30 anos estou de novo a ser ajudada. Aos 30 anos aprendi que não é vergonha nenhuma precisar de psicoterapia.

E estou aqui. Em luta.

Quando a realidade entra nos sonhos...

Vocês sabem que eu tenho sonhos muito prolíferos...

 

Então não é que hoje eu sonhei que estava a acompanhar um get together de ex-colegas da faculdade através do Instagram (???) e a festarola é interrompida por uma carga d'água?

Carga d'água que estava a ser fotografada por um fotografo profissional, à laia do National Geographic, que estava empoleirado no telhado de casa da minha mãe (no Porto) - e eu em Lisboa...

 

Acordo, a ouvir a chuva intensa que assolou Lisboa durante 5 minutos, às 6 da madrugada.

O único problema? Não consegui voltar a adormecer, porque me voltei a esquecer de tomar a medicação da noite.

Digam-me:

Mas agora deu tudo em Youtuber?

Muito vejo eu, por aí, pessoal que mal consegue alimentar um blogue que tem há anos... mas agora é tudo a abrir canais de Youtube...

 

E já agora, que têm vocês a dizer sobre o post/videozinho da NiT a "gozar" com os Youtubers fit?

Do jantar de aniversário:

Já cheguei ao meu "ponto de encontro" quanto aos "grandes 31".

 

Vou voltar às minhas "raízes": jantar pequeno, com os meus "gatos pingados". Que eu sinto-me é bem a poder dar atenção a cada um, a beber e a deitar conversa fora!

Já criei o evento privado no Faicibuqui - privado para não ferir as susceptibilidades de quem não quer saber de mim o ano inteiro, me trata mal/ignora, maaaaaaaas depois espera ser convidado para os meus jantares - para dizerem que foram e tirarem selfies.

 

Agora?

Falta ir falar com o restaurantezinho do meu coração para escolher o menu.

E mais importante que isso: falta rezar aos santinhos para NÃO serem 13 pessoas à mesa!

(Sim, eu sou supersticiosa!)

(Risca ali Las Vegas e troca por Amadora ;) ) 

Nada como passear com mulheres acima dos 50 anos...

Ora, no Domingo, fomos almoçar e passear com a tia-avô do m-R, que fez 75 anos.

Pós-almoço fomos passear por Cascais e Sintra.

Toca de entrar no shopping, porque "estava calor e queremos água".

 

Aqui entre nós, vocês sabem que eu adoro as mulheres da vida do m-R - o ódiozinho fica todo dirigido ao Sogrinho.

E não há nada melhor do que passear com elas nos shóppes: para elas, eu sou gira, jeitosa, fresca e posso vestir tudo! Tudo me assenta bem e lailailai!

Não é que me cruzo com um vestido de noite LIN-DO, verde garrafa meets verde esmeralda, com pedras... e começo a suspirar... tivesse eu dinheiro e ganhava coragem para vestir algo do género no casamento de Maio... e dizem a Sogrinha e a tia-aniversariante:

Ai que cor linda! Olha que giro! Mas se tu vestes isto...UI! Ficas demais para aquele casamento! Olha que não te merecem tanto!"

 (era tipo isto, mas em melhor ainda!)

Ri-me, olhei para o preço, supirei. Lembrei-me que tenho metro e meio, pneuzinho e não posso usar tacões superiores a 5 cm... e voltei a suspirar antes de sair da loja.

 

*Sim Joana, estou a considerar verde Sportém como cor de cerimónia para um casamento chique! É das tuas influências.

Setembro is coming!

Qual winter? Setembro é que é... o "meu mês"!...

Acho que se começa aqui a notar um padrão, não? Falo na SheIn e pimbas! Dou por mim a ir babar para o site deles.

 

"Pior"! Já lá está a coleção nova. E eles ainda me mandam newsletters a ver se me tentam...

E eu ainda não encontrei uma pecinha pela qual me apaixone para usar no "meu dia". Posso estar sem espírito para grandes festas, mas estou longe de não querer estrear uma peça de roupa, nesse dia!

 

Ainda não juntei dinheiro para comprar a wishlist de Saldos e já lhe acrescentei estas peças:

Nota-se muito que não quero dizer adeus ao Verão?... 

Sabem que mais? Vivam as lojas online - e este ano a SheIn - para eu, desempregada e pelintra, poder sonhar, sem pesar na carteira... E olhem que hoje e amanhã os descontos são ainda maiores, nesta secção! Aaaai se eu pudesse...

 

Digam-me de vossa justiça - aproveitando uma notita ou outra que vou receber da família... em que pecinha apostavam para o guarda-roupa de outono?